quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Enquanto cristãos são libertados, outros são condenados à prisão no Irã

A Igreja iraniana agradece pelas orações de irmãos ao redor do mundo que têm intercedido por cristãos mantidos na prisão em seu país. Eles se alegram que foi concedida a liberdade condicional a Homayoun Shokouhi (foto), no dia 10 de novembro, mas pedem oração por Masoud Rezai, que foi condenado, em 9 de novembro, a cumprir uma pena de cinco anos
Homayoun Shokouhi_2611.jpg
Homayoun, sua esposa e filho, Fariba Nima, estavam entre os sete cristãos presos em Shiraz, em 8 de fevereiro de 2012, quando uma reunião de oração foi invadida. Na ocasião, um membro da igreja também foi detido. Em junho de 2012, os oito foram considerados culpados de "participar de uma igreja doméstica, difundir o cristianismo, ter contato com ministérios estrangeiros, fazer propaganda contra o regime e prejudicar a segurança nacional." Homayoun e outros três cristãos foram condenados a 3 anos e 8 meses de prisão. Um deles, Mohammad-Reza, conseguiu liberdade condicional em 18 de maio desse ano.

Na sequência de um apelo sobre sua sentença, apresentado pela família ao tribunal de Shiraz, Homayoun foi libertado no dia 10 de novembro, depois de cumprir dois anos e oito meses na prisão Adel-Abad. Mojtaba e Vahid permanecem detidos.

Em outro momento, nove membros da Igreja do Irã foram presos em Shiraz, em outubro de 2012, quando uma reunião de oração foi invadida. Um dos detidos foi libertado pouco tempo depois; os outros foram formalmente condenados a sentenças que variam de um ano para seis anos de prisão (apesar da condenação ter sido posteriormente derrubada). Um recurso foi rejeitado em 29 de março de 2014 e, posteriormente, quatro desses condenados – Shahin, Mohammad, Suroush e Mehdi – iniciaram o cumprimento de suas sentenças.

No dia 9 de novembro, Masoud também foi levado à prisão Adel Abad, para cumprir a sua pena de cinco anos. Os outros dois, Eskander e Bijan, estão à espera de serem convocados em breve para cumprir suas sentenças.
FonteMiddle East Concern
TraduçãoAna Luíza Vastag

Nenhum comentário: