quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Desde 2007 aumenta o quadro de perseguição contra cristãos na Indonésia

23 dez 2014INDONÉSIA

Com o aumento substancial no número de cristãos (que dobrou nos últimos 14 anos), o país continua sendo o maior em número de muçulmanos do mundo
23_Indonesia_0310006947
A Indonésia é conhecida como o maior país muçulmano do mundo, composta por cerca de 240 milhões de habitantes, 86 por cento seguem a religião islâmica. Composta por mais de 17.000 ilhas, espalhando mais de 5.000 km, o país enfrenta grandes desafios em termos de infraestrutura e desenvolvimento. Há mais de 360 etnias diferentes e mais de 700 dialetos, o que completa uma situação complexa por si só.
Nos anos que seguiram a sua independência, em 1945, a Indonésia se tornou conhecida como um modelo de democracia em um país muçulmano e era frequentemente apontadao como um exemplo de tolerância em um país etnica e religiosamente diversificado.

Cerca de 10 por cento da população é cristã, de acordo com o último censo do governo em 2000. O número real hoje em dia é de pouco menos de 20 por cento, sendo que cerca de um terço deles são católicos.
A Constituição reconhece a liberdade religiosa e o governo geralmente a respeita. Igrejas podem ser edificadas e escolas podem ter cursos cristãos no currículo. Até alguns feriados cristãos são celebrados nacionalmente. Entretanto, existe um claro favorecimento aos muçulmanos.
Na posição de país com a maior população islâmica do mundo, as autoridades se veem obrigadas a atender aos desejos das entidades e líderes islâmicos. Alguns desses líderes usam de meios legais para oprimir a Igreja. Isso fez com que várias congregações fossem fechadas. Há uma lei que diz que, se a comunidade se opõe a uma igreja, ela pode ser fechada. Além disso, há grupos radicais muçulmanos que incitam a violência contra os cristãos, atacando-os frequentemente.
O governo tem lutado contra grupos extremistas, levando a julgamento aqueles que comentem atos terroristas contra as comunidades cristãs ou a população em geral.
Há sete anos, as autoridades indonésias têm documentado a destruição de 200 igrejas, muitas delas incendiadas por radicais islâmicos. Reconstruir as igrejas também é praticamente impossível, porque os líderes locais impedem esse processo legalmente.
Mesmo diante dessa situação, existem cristãos fiéis e corajosos. Eles têm abençoado o país pregando o Evangelho aos povos não alcançados. Ore pela Indonésia.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoRegina Andrade

Nenhum comentário: