quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Dois prisioneiros cristãos libertados no Irã

30 dez 2014IRÃ

Em Outubro, pedimos orações por três membros do movimento "Igreja do Irã", Behnam Irani, Abdolreza (Matthias) Haghnejad e Reza (Silas) Rabbani, que haviam sido acusados de "ação contra a segurança nacional" e "a criação de uma rede para derrubar o sistema ". O juiz considerou-os culpados e condenou cada um deles a 6 anos de prisão, para ser cumprido no exílio em regiões remotas do Irã
12_Iran_0260004684
Na sequência de apelos em 24 de novembro e 09 de dezembro, as acusações contra dois destes prisioneiros, Abdolreza Haghnejad e Reza Rabbani, foram retiradas e eles já foram liberados.
Reza, um diácono da "Igreja do Irã", foi preso em Karaj no dia 5 de maio de 2014. Foi relatado que Reza foi violentamente tratado durante o interrogatório em várias ocasiões.
Pastor Abdolreza foi preso em maio de 2011, mas depois absolvido das acusações que incluíam propaganda contra o Estado. A partir de então, Abdolreza enfrentou convocação freqüentes e assédio por parte de funcionários. Em 05 de julho de 2014 ele foi detido mais uma vez após a prisão de outros membros da igreja.
O advogado que representa Abdolreza e Reza, Farahani, argumentou que Abdolreza deve ser julgado com base em julgamentos anteriores em que ele já tinha sido absolvido das acusações por um tribunal em Bandar-Anzali e sustentou que as pessoas não podem ser condenadas por acusações políticas por simplesmente pertencer a uma determinada religião.
Segundo fontes próximas às vítimas, a indignação internacional com a severidade das sentenças e defesa, realizados em nome dos presos teve um papel importante no sucesso do recurso e posterior liberação dos Abdolreza e Reza.
Pedidos de Oração• As acusações contra Behnam Irani também sejam descartadas e que ele sinta a presença, conforto e apoio do Senhor
• Abdolreza e Reza venham a desfrutar de sua liberdade quando retornarem para suas casas e famílias, e conheçam e testemunhem da força e do amor de Deus
• Todos os presos no Irã sejam tratado com respeito e dignidade como seres criados à imagem de Deus, e que aqueles presos por causa de sua fé em Jesus sejam libertos
• Todos os funcionários, carcereiros, policiais, advogados e juízes envolvidos possam ouvir sobre Jesus, amar a misericórdia, agir com justiça, aprender sobre Ele e decidam segui-Lo
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoRegina Andrade

Nenhum comentário: