terça-feira, 6 de janeiro de 2015

No Irã, mais de 20 pessoas foram presas durante o Natal

06 jan 2015 - Irã

Cristãos iranianos pedem oração após uma onda de detenções durante as celebrações de Natal no país; além disso, o pastor Farshid Fathi foi condenado a uma sentença adicional e terá de cumprir mais um ano de prisão
06_Amin_preso_Irã_2014_0260010387.jpg
No dia 25 de dezembro, oficiais invadiram uma casa em Roudehen – uma cidade a oeste de Teerã. Eles prenderam nove cristãos, nomeados como Mehdi Kiyan, Ali Sadreddine, Mohammad Kazemi, Azin Foroodi, Mohammad-Hossein Moridian, Maryam Narimani, Alireza Naseri, Br. Matin e uma pessoa não identificada. Todos foram levados para um local desconhecido, provavelmente para serem interrogados.

Apenas um dia depois, em 26 de dezembro, oficiais invadiram a casa do pastor Victor Bet-Tamarz, um proeminente cristã assírio, que costumava servir na Igreja Pentecostal Shahr-Ara, em Teerã. Eles realizaram revistas corporais e confiscaram Bíblias, telefones celulares e documentos de identidade de pessoas que estavam participando da celebração de Natal. Eles detiveram todos os presentes – cerca de 15 pessoas –mas a maioria foi liberada mais tarde, com a advertência de que poderiam ser convocados para uma investigação mais aprofundada. No entanto, o pastor Victor foi levado para a prisão de Evin, em Teerã.

Outro cristão presente na celebração, conhecido como Amin (foto), foi levado até sua casa apenas para que os oficiais pudessem revistá-la. Ele também continua preso.

Nossos irmãos iranianos também solicitam oração para Farshid Fathi, preso em Rajai Shahr, em Karaj. Desde 2010, ele cumpre uma sentença de seis anos. Porém, no dia 29 de dezembro, Farshid foi levado ao 
Tribunal Revolucionário de Teerã, onde o juiz Salavati o condenou a mais um ano de prisão. A sentença foi proferida após a descoberta de álcool em uma enfermaria na prisão, o que levou a um ataque internacionalmente controverso sobre a instituição. Mesmo que o álcool tenha sido encontrado em uma ala adjacente, guardas prisionais atribuíram o produto a Farshid e, portanto, ele foi condenado à sentença adicional.

Ore pelos cristãos iranianos que estão presos por sua fé.
FonteMiddle East Concern
TraduçãoAna Luíza Vastag

Nenhum comentário: