sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Estado Islâmico marcha para a Ásia Central

19 fev 2015TAJIQUISTÃO

No final do mês de janeiro, a rádio Europa Livre informou que os militantes do Estado Islâmico que atuam na Síria publicaram um vídeo pedindo permissão ao líder do grupo, Abu Bakr al Baghdadi, para invadir e iniciar a jihad no Tajiquistão. O plano do grupo é "lutar contra os infiéis" no Tajiquistão, aliados com os radicais extremistas do Jamaat Ansarullah
19_Tajiquistao_0250001768
A resposta de al-Baghdadi é que eles esperem suas ordens. Segundo o analista de perseguição da Portas Abertas, Rolf Zeegers, esta é a primeira vez que uma declaração de jihad é feita tão abertamente. “Isso não afeta somente o Tajiquistão, as todos os estados da região. O fato da liderança do Estado Islâmico não autorizar a invasão não deve causar alívio a ninguém. Há centenas de jihadistas lutando na Síria e no Iraque e a provável invasão de outros países vizinhos terão consequências devastadoras, principalmente para os cristãos da região.” 
O Tajiquistão está em 46º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa. A Portas Abertas estima que o número de cristãos no país represente um pouco mais de 1% da população. Oficialmente, não há liberdade de religião, mas pontualmente quem se torna cristão enfrenta ameaças, espancamentos e todos os tipos de ataques e outras formas e perseguição de líderes muçulmanos, autoridades locais, vizinhos e até parentes.
A identidade tadjique está associada a ser muçulmano e, consequentemente, mudar de religião traz grande vergonha para a família do convertido.
FontePortas Abertas Internacional

Nenhum comentário: