terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Jornalista é detida na China por informar sobre a perseguição aos cristãos

03 fev 2015CHINA

Em 23 de janeiro, autoridades da província chinesa de Zhejiang detiveram e interrogaram uma jornalista de Hong Kong que foi ao país colher mais informações sobre a demolição de cruzes em igrejas na região
03_China_0300100176
Jiang Yannan, repórter da revista Asiaweek, publicada em língua chinesa, baseada em Hong Kong, disse a uma agência de notícias local que foi detida brevemente em Pingyang, próxima a Wenzhou, cidade conhecida como a "Jerusalém da China" devido à elevada concentração de cristãos.
Ela enfrentou um breve período de detenção em uma delegacia de polícia nas proximidades. “Fui à China a fim de realizar entrevistas acerca da demolição de cruzes [de igrejas cristãs] e pesquisar mais sobre o assunto. Eles não me seguraram por muito tempo.” Apesar disso, ela afirmou que a polícia continuou acompanhando seus movimentos e falou com seus entrevistados desde sua libertação: “Quiseram me impedir de entrevistar as pessoas”, contou Jiang.
"Eu não dei importância para eles, nem prestei muita atenção, mas eles me perguntaram o que eu estava fazendo", disse Jiang. "Eles têm me seguido e incomodado as pessoas que tento entrevistar."
Jiang acrescentou: “Eu colhi uma série de depoimentos nesta viagem, e desta vez as autoridades locais estão muito mais rígidas [com os jornalistas]”.
A jornalista, que havia chegado a Pyongyang em 19 de janeiro, disse em uma entrevista após sua detenção que já tinha saído da província. “Eu não estou em Zhejiang. Deixei a área”, disse ela. "Eles estavam me seguindo o tempo todo”.
Uma nota sobre um desses casos de demolição da cruz de uma igreja na mesma província está publicada na revista da Portas Abertas deste mês.
FonteUCANEWS
TraduçãoAna Luíza Vastag

Nenhum comentário: