terça-feira, 2 de junho de 2015

Cristãos presos na Etiópia pedem oração por seu julgamento

01 jun 2015ETIÓPIA

Três cristãos podem cumprir até nove anos na prisão por um crime que eles não cometeram. Amanhã (02), eles têm a última chance de provar sua inocência, durante uma audiência no Supremo Tribunal Federal, em Adis Abeba
01_Etiopia_0270000504
Fontes na Etiópia que escolheram permanecer anônimas por motivos de segurança disseram à Portas Abertas que não podem ajudar, mas temem o resultado do julgamento de amanhã, suspeitando que a ação contra os cristãos seja um esforço das autoridades para apaziguar as influências cristãs conservadoras que existem dentro da igreja no país.

Em 16 de maio de 2014, um edifício EOC na comunidade rural de Gulema Iyesus a 275 km de Addis Ababa foi reduzido a cinzas. Cerca de um mês depois, as autoridades prenderam dois jovens cristãos evangelistas, Tibebu Mekuria e Dawit Jemberusobre, acusados de iniciar o fogo. Eles também prenderam um outro cristão, Belete Tilahun, proprietário de um pequeno quiosque, acusado de fornecer fundos para o ataque. Todos os três cristãos negaram as acusações.
A EOC é uma das mais antigas igrejas da África. Mas, no início da era comunista, em 1974, a igreja e o Estado se separaram e a EOC perdeu a permissão que tinha do Estado de ser oficialmente a igreja do país. No entanto, a igreja mantém uma voz poderosa em todos os assuntos do governo e religiosos. Há um movimento conservador dentro da igreja que tem sido uma ameaça crescente para cristãos não tradicionais. O movimento supostamente quer controlar as políticas do governo para restringir as atividades de outras religiões.
Os cristãos locais disseram à Portas Abertas que, embora a estrutura de madeira e lama poderia facilmente ser incendiada acidentalmente, eles suspeitam que alguém deliberadamente colocou fogo na igreja, para trazer problemas para os cristãos. Eles têm enfrentado meses de processos judiciais. Os líderes das igrejas repetidamente apelaram às autoridades em tentativas de intervenção, mas as autoridades disseram que não querem "perturbar a população local".
Durante a primeira audiência, em 9 de outubro, testemunhas de defesa disseram que eles não estavam nem perto da igreja no momento em que ela queimou. Sua defesa também apontou inconsistências no depoimento da promotoria.
O juiz pediu mais tempo para avaliar o caso, mas no dia 28 de outubro todos os três cristãos foram considerados culpados. Ele baseou seu veredito no testemunho inconsistente da única testemunha de acusação, e rejeitou os depoimentos das testemunhas de defesa. Ele condenou Tibebu e Dawit a 9 anos e Belete a 8 anos de prisão.
Em 22 de dezembro, o recurso de defesa foi rejeitado mais uma vez e o advogado recorreu para o Supremo Tribunal Federal, em Adis Abeba. A audiência será amanhã, no dia 2 de junho. É a última chance de assegurar a libertação dos cristãos.
Os cristãos presos parecem ter peso perdido durante a prisão. Mas eles são fortes na fé e agradecidos pelas orações e apoio que têm recebido dos cristãos ao redor do mundo.
Eles continuam com seu ministério dentro da prisão e recentemente um criminoso comprometeu sua vida com Cristo. "Nós não sabemos por que estamos aqui", disse um dos cristãos a uma fonte da Portas Abertas. "Mas, é verdade que Deus tem o seu próprio propósito e um plano para nos deixar aqui. Nós agradecemos por suas orações e preocupação. Por favor, peça a mais pessoas para que continuem orando por nós."
Motivos de oração
  • Agradeça ao Senhor pela obra dele que continua sendo feita apesar das dificuldades que os cristãos têm enfrentado na Etiópia.
  • Peça a Deus para que a justiça seja feita na vida desses três cristãos e para que permaneçam firmes e fortes na fé em Jesus.
  • Ore pelas famílias dos presos, para que continuem sendo encorajados pelo Senhor, sabendo que ele proverá todas as necessidades, enquanto seus entes queridos estão longe.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoVivian Coutinho

Nenhum comentário: