terça-feira, 7 de julho de 2015

“É Deus quem me faz permanecer firme”

06 jul 2015NIGÉRIA

Entre os dias 13 de junho e 5 de julho, Ana*, viúva nigeriana, esteve aqui no Brasil para compartilhar seu testemunho com os cristãos brasileiros. Ela passou várias igrejas de Brasília, Goiás e São Paulo
15_Nigeria_2013_0430100603
Ana começa seu testemunho dizendo que é um milagre ela estar aqui no Brasil. Ela agradece a Deus pela oportunidade e pede que seu testemunho alcance os corações de quem ouvir. 
“Em outubro, o Boko Haram (grupo extremista islâmico) dominou algumas cidades perto de onde moro. No dia 19, como em dias normais, eu e meu marido levamos nossos filhos à escola e fomos trabalhar. A cidade estava diferente e não havia policiais, apenas homens fardados, como se fossem do Exército. Recebi uma ligação da minha irmã, pedindo que eu voltasse para casa pelos meus filhos, pois a cidade havia sido tomada pelo Boko Haram. Eu e meu marido nos encontramos em casa, mas nossos filhos não estavam lá nem na escola. Nosso vizinho nos indicou o caminho pelo qual os viu seguindo. Pegamos o carro e seguimos na direção indicada. Havia pontos de inspeção espalhados pela cidade, todos controlados pelo grupo extremista. Quando passamos em um desses pontos, pediram que parássemos. E, sem percebermos, o grupo já estava em volta de nós. Pediram ao meu marido para sair do carro e perguntaram a ele: ‘Quem é você? Você é muçulmano ou um infiel?’. Ele respondeu: ‘Eu não sou nenhum dos dois, sou um cristão’. Com essa resposta, levaram ele ao lado esquerdo do carro e, antes que eu percebesse, atiraram nele. Quando me perguntaram, dei a mesma resposta que meu marido e levantei minhas mãos com os olhos fechados. Foi quando ouvi alguém gritar: ‘Pare, não mate essa mulher’. Deixaram que eu fosse embora. Precisava encontrar meus filhos. Após algumas horas dirigindo, ouvi vozes familiares que gritavam ‘mãe, mãe, mãe...’. Eram meus filhos, que estavam com a minha irmã. E foi então que me dei conta de tudo o que havia acontecido”, compartilha Ana com a igreja brasileira. Mesmo com a perseguição e tudo o que ela enfrentou por seguir a Cristo, ela continua: “Deus eu te agradeço por ter me escolhido. Não sou digna de ser perseguida pelo seu nome. Mas, ter testemunhado sobre ti tem me dado muita alegria. Obrigada, Jesus, pois é o Senhor quem tem me mantido forte!”.
Enquanto esteve no Brasil, Ana visitou 24 igrejas, abençoando a vida de muitos irmãos, compartilhando o desafio de viver verdadeiramente a fé em Jesus Cristo e impactando a igreja brasileira a orar e fortalecer a Igreja Perseguida.
Participe do próximo!
Agenda George
*Nome alterado por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Brasil

Nenhum comentário: