segunda-feira, 30 de junho de 2014

Paz em meio aos momentos mais difíceis

"O Senhor dá força ao seu povo; o Senhor dá a seu povo a bênção da paz." Salmos 29.11
SiteRamada_Dia3.jpg
O pastor You Yong foi sequestrado por extremistas islâmicos em sua própria igreja na região da Java Central. Ele estava sangrando devido a repetidos espancamentos e estava exausto por causa dos duros interrogatórios – tudo para provocá-lo a reagir de maneira violenta.

Enquanto seus sequestradores mantinham um facão em sua garganta, o pastor Yong acreditava que estava prestes a morrer como um mártir, mas foi quando algo surpreendente aconteceu.
Maior que toda a dor e o medo de morrer, Yong relembra, "Eu senti uma paz incrível. Eu também estava surpreso com as respostas que eu podia dar a eles. Aquele versículo se tornou verdade: ‘Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizer. Naquela hora lhes será dado o que dizer(Mateus 10.19). Quanto mais eles tentavam me provocar, mais paz eu sentia."

Pedido de oração
  • Durante o ramadã, cristãos que vivem em países islâmicos podem estar enfrentando forte perseguição. Peça ao Senhor para que a paz seja derramada sobre a vida deles.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoGrace Gil

domingo, 29 de junho de 2014

Durante o ramadã, ore pelos cristãos presos

"Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que o estivessem sofrendo no corpo." Hebreus 13.3
SiteRamada_Dia2.jpg
Amontoadas em um contêiner, que era sua cela de prisão, o calor sufocante, piolhos e pulgas eram pura tortura para as mulheres. A cantora cristã Helen Berhane passou quase três anos neste contêiner. Nas suas próprias palavras, ela fala do momento em que soube o verdadeiro significado da alegria:
"Todos estavam muito desencorajados e muitas mulheres estavam famintas. Elas me perguntaram o que deveríamos fazer e eu sabia que elas estavam esperando que eu dissesse que deveríamos gritar ou bater no contêiner para mostrar aos nossos captores que não iríamos mais tolerar este tipo de tratamento. Mas eu lembrei [que tinha lido] que cristãos, assim como rouxinóis, não poderiam ser impedidos de cantar, mesmo em cativeiro. Então sugeri que cantássemos. ‘Nós devemos louvar a Deus’, eu disse, ‘apesar das pulgas, apesar dos piolhos, apesar do calor. Nós devemos agradecer a Deus apesar das nossas circunstâncias’. Então eu comecei a cantar com elas e orar e compartilhar a palavra de Deus que havia guardado em minha memória."
Hoje, segundo dia do ramadã, enquanto o sol se põe, reúna sua família e cante canções de louvor. Compartilhe como Deus enche o seu povo de alegria e lembre-se daqueles que não podem se reunir nem louvar abertamente.
Pedidos de oração
  • Ore por aqueles que estão na prisão, para que Deus os encha com alegria e eles sejam fontes de felicidade e refúgio para seus companheiros de cela.
  • Clame também por aqueles que perderam sua alegria em meio à dor, para que eles voltem a depositar a sua esperança em Deus.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoGrace Gil

sábado, 28 de junho de 2014

O amor de Deus pelos muçulmanos

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3.16SiteRamada_Dia1.jpg
Aquelas cenas horríveis ainda se repetem em sua mente. Ela se lembra como a fumaça vinda de carros e prédios em chamas preencheram sua boca e arderam seus olhos. Agnes ainda podia ver e ouvir o tiroteio e a multidão que havia se revoltado. Naquele dia, muitos foram assassinados, entre eles, o marido de Agnes.

Por serem cristãos, ambos passaram muito tempo afastados e ignorados por suas famílias. Mas, naquele momento, Agnes precisava de seus parentes. A dor de ter perdido seu marido foi multiplicada pelo fato de ninguém da sua família estar ao seu lado. O vazio a estava engolindo, a distância entre ela e sua família parecia irreparável – então, um pensamento estranho passou por sua cabeça: "E se eu fosse até eles?"
Rendendo-se àquilo que ela sabia que era a vontade de Deus, Agnes imediatamente sentiu um calor que a preenchia; a compreensão se tronou clara na sua mente: o amor de Deus estava enchendo o grande abismo da sua vida. Consumida por esse amor, ela se sentiu encorajada a ir até a vila e cumprimentar a família do seu marido.

A presença de Cristo em sua vida a havia dado o poder de perdoar e alcançar outros, mesmo em meio à sua dor. Ela disse: "Eu sou encorajada quando penso que Deus pode me usar para ser uma benção para outras pessoas."
Pedido de oração
  • Hoje, no primeiro dia do ramadã, peça ao Senhor para que os corações sejam cheios com o seu amor; para que aqueles que ainda não o conhecem sejam atraídos até ele. 
FontePortas Abertas Internacional

Pedido de oração urgente

Cristãos foram multados e outros são obrigados a fugir deixando tudo para trás, inclusive suas famílias, por causa da forte perseguição. No Uzbequistão, líderes cristãos são constantemente vigiados e sofrem frequentes hostilidades no país
Malaysia_bible.jpg
Ore por nossos irmãos no Uzbesquistão!  Muitos cristãos que vivem sob perseguição nos relatam que as orações têm sido o sustento que os faz permanecer firmes mesmo em meio a tão forte tribulação, pois Deus os têm consolado, abençoado e confortado em diversos momentos difíceis.

Embora no Brasil a Igreja não seja perseguida, somos chamados a nos unir à parte do Corpo de Cristo que sofre diariamente, e apoiá-los por meio de nossas orações e contribuições, aprendendo também com sua perseverança.

O Uzbequistão está no 15º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa.

FontePortas Abertas Internacional

Perguntas e respostas sobre o ramadã

"De todos os meses do ano, o ramadã é o momento em que nós, cristãos, devemos nos dedicar mais à oração por nossos amigos e vizinhos muçulmanos. Este é o melhor momento para mostrar-lhes o verdadeiro amor de Cristo!", cristão egípcio
Foto_Noticia27jun14
Por que o ramadã é importante para a fé islâmica?
O ramadã celebra a primeira revelação que Maomé recebeu do Alcorão. O propósito do jejum realizado durante todo esse mês é tirar os muçulmanos de seu cotidiano e fazê-los reexaminar sua vida sob o contexto de um ideal maior. Por exemplo: quando você experimenta fome, torna-se mais consciente do sofrimento dos pobres; e, ao passar por um sofrimento real, mas limitado, pode se preparar para provas mais duras. O jejum do ramadã é um dos cinco pilares da fé islâmica e é obrigatório para todos os seus seguidores. O sentimento de comunidade é muito forte durante o ramadã.
O que os muçulmanos devem fazer durante o ramadã? Todos os muçulmanos devem se abster de comer, fumar, beber (até mesmo água) e ter relações sexuais, entre outras restrições, durante o dia, isto é, o período em que há luz do sol . Excluem-se da obrigação crianças menores de 12 anos, mulheres grávidas ou que amamentam, pessoas debilitadas, idosas e enfermas.
Qual é a base das datas do ramadã? Porque elas mudam? As datas do ramadã são estabelecidas segundo o calendário lunar, que tem 354 dias. Os meses estão divididos em meses lunares e cada um tem 29 ou 30 dias. Cada dia começa com o pôr do sol (não à meia-noite). O período de jejum normalmente começa e termina com a visualização da lua nova no nono mês, que ocorre em época diferente a cada ano.
O que é importante saber sobre o islã?
  • A palavra "islã" significa "submissão".
  • O islã é uma religião monoteísta que surgiu no século 7, sob a liderança de Maomé.
  • Maomé é considerado o "homem ideal", mas não divino.
  • Seguidores do islã são chamados islâmicos ou muçulmanos, que significa "aqueles que se submeteram".
  • O estudo e a prática do islã envolvem as crenças: "As cinco doutrinas do islã" e as obrigações: "Os cinco pilares do islã". Há correntes no islamismo, entretanto, que não concordam em todos esses aspectos.
  • A palavra árabe para Deus é Alá.
  • Para os muçulmanos, Jesus é um dos grandes mensageiros enviados por Alá e não possui nenhuma divindade.
Quais são as principais correntes do islã?
  • Sunitas: a maioria dos muçulmanos pertence a esse grupo. São seguidores de Abu Bakr como o sucessor de Maomé. Eles acreditam que não há homem santo que precise vir entre uma pessoa e Alá.
  • Xiitas: são seguidores de Ali, primo e genro do profeta Maomé. Para eles, há um imã - homem santo, que precisa agir como intermediário entre os muçulmanos e Alá.
  • Sufistas: um grupo pequeno de muçulmanos que procura encontrar a verdade do amor e conhecimento divino através de experiências pessoais e diretas com Alá. 
Quais são os cinco pilares do islã ou as cinco práticas a que um muçulmano devoto precisa se dedicar durante a vida?
  1. Converter-se pela citação do credo "Não existe outro deus senão Alá e Maomé é o seu profeta" (Shahada)
  2. Orações diárias (Salat) cinco vezes ao dia, em horários específicos
  3. Dar ao pobre (Zakat)
  4. Jejuar, especialmente durante o mês sagrado do ramadã (Sawim). Há outros jejuns, mas só esse é obrigatório.
  5. Fazer a peregrinação para Meca, na Arábia Saudita, pelo menos uma vez na vida (Hajj)
Nesse período de ramadã, enquanto os muçulmanos jejuam, oremos por eles!
Clame pelos muçulmanos, para que Deus continue se revelando a eles através de visões, sonhos, milagres e dos testemunhos dos cristãos. Ore também para que venham a conhecer a Cristo como o único caminho para a vida eterna.
Para os cristãos que vivem em países muçulmanos, é grande o risco de que haja um aumento na pressão e na perseguição. Ore por força, incentivo, sabedoria e proteção para nossos irmãos que confessam Jesus como Senhor durante o ramadã.

Leia também
O que é o ramadã?
FontePortas Abertas Internacional

Número de refugiados é o maior desde a 2ª Guerra

Ao todo, 51,2 milhões de pessoas estão refugiadas, desabrigadas ou em busca de asilo. Mais da metade são de apenas três países: Afeganistão, Síria e Somália, que, não coincidentemente, estão entre os cinco países mais opressores aos cristãos
Siria_0260008878
Ao redor do mundo, muitos cristãos são forçados a mudar de vida por causa da perseguição. Em países onde há conflitos religiosos, centenas e centenas de cristãos deixam suas casas em busca de lugares mais seguros.
Em 2003, havia um milhão de cristãos no Iraque, hoje existem menos de 345 mil. Dados divulgados pela ONU mostram que o problema de refugiados espalhados pelo mundo é bastante sério e não somente para os cristãos.

"Estes dados nos mostram que a paz está seriamente em déficit no mundo. Estes números são possíveis porque observamos uma multiplicação de novas crises, enquanto ao mesmo tempo as velhas crises parecem não acabar nunca", disse o alto comissário da ONU para os refugiados, Antonio Guterres.

Segundo o documento "Acnur, Tendências Globais 2013", no final de 2013, o número de refugiados chegou a 16,7 milhões, 33,3 desabrigados no interior do próprio país e quase 1,2 milhão solicitava asilo.

Guterres informou que havia 10,7 milhões de novos deslocados em 2013 e 2,5 milhões de novos refugiados, o que ele caracterizou como "um aumento colossal".

O resultado verificado pela ONU é seis milhões maior que o atestado no ano de 2012: 45,2 milhões.
FontePortas Abertas Internacional e BAND

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Você sabe o que é o Ramadã?

O Ramadã é o nono mês do calendário islâmico no qual se acredita que o profeta Maomé recebeu a revelação da parte de Deus, ou Alá, dos primeiros versos do Alcorão. Enquanto os muçulmanos oram a Alá, oremos por eles!
Foto_Noticia26jun14.jpg
De acordo com o islamismo, Maomé estava andando em um deserto perto de Meca 610 d.C., onde atualmente localiza-se a Arábia Saudita. Certa noite, uma voz vinda do céu o chamou. Segundo a tradição foi a voz do anjo Gabriel que falou que Maomé tinha sido escolhido para receber a palavra de Alá. Nos dias posteriores, Maomé começou a falar os versos que seriam transcritos, compondo o Alcorão.
O início do Ramadã em cada ano é baseado na combinação das observações da Lua e em cálculos astronômicos. O término do Ramadã é determinado de maneira semelhante, por isso, as datas variam de ano a ano, podendo ser realizado em diferentes meses e estações.

O Ramadã é um dos mais tradicionais e importantes eventos anuais para os muçulmanos e compõe um dos cinco pilares (Shahada - profissão de fé, Salah - cinco orações diárias, Sakat - caridades, Ramadã/Suam - jejum e Hajj - peregrinação a Meca), ou obrigações, da fé islâmica.
Quem deve ou não praticá-loSegundo a Jurisprudência Islâmica, o jejum é obrigatório para todo muçulmano que tenha atingido a puberdade e que goze de perfeita saúde física e mental.
O primeiro jejum de uma pessoa na comunidade muçulmana é algo para celebração e festa. A isenção temporária do jejum é baseada nas circunstâncias individuais, que precisam ser analisadas durante o mês e, aconselhadas por um Imam (líder religioso) ou por um estudioso islâmico. No entanto, na maioria dos casos os dias de jejum perdidos terão de ser compensados por um número de dias iguais, a qualquer momento antes do próximo Ramadã.

No caso de um doente terminal ou de uma doença incurável a pessoa deixa de jejuar definitivamente, tendo que dar uma refeição a um necessitado para cada dia não jejuado, ou o equivalente ao valor de uma refeição, caso tenha condições para tal, caso contrário não está obrigado a nada.
O jejum é feito por cerca de 29 dias entre o nascer e o pôr do sol e traz implicações no cotidiano. Muitos ataques a igrejas e cidadãos cristãos costumam acontecer nos últimos dias do Ramadã. Um desses dias é denominado de Laylat al-Qadr(literalmente "Noite do Destino", também conhecida como "Noite do Poder") e que normalmente é comemorado no 27º dia do jejum. Neste dia acredita-se que o profeta Maomé tenha recebido a revelação dos primeiros versos do Alcorão. Muitos cristãos do mundo muçulmano são alvo de processos penais e violência por se negarem a praticar o jejum islâmico.

Saiba mais
FontePortas Abertas

Meriam Ibrahim é acusada de falsificar documentos

A sudanesa foi acusada de falsificar documentos para deixar o país, disse seu advogado à BBC. Meriam foi detida na terça-feira (24), um dia após um tribunal tê-la libertado, anulando a pena de morte imposta por ela ter renunciado ao islã
Meriam 2.jpg
Meriam Ibrahim portava documentos de viagem de emergência emitidos pelo Sudão do Sul quando foi detida no aeroporto de Cartum, no Sudão, ao tentar embarcar com sua família para os Estados Unidos.

A embaixada do Sudão do Sul em Cartum disse que os documentos de viagem são verdadeiros. O marido dela, Daniel Wani, é cristão de origem do Sudão do Sul e cidadão americano.

Os EUA disseram estar trabalhando para a libertação de Meriam.

O advogado dela, Elsherif Ali, disse à BBC que a Autoridade Nacional de Segurança e Inteligência do Sudão havia apresentado uma denúncia contra Meriam por falsificação de documentos. Segundo ele, ela estaria detida em uma delegacia de Cartum.

Acredita-se que marido e os dois filhos estejam na Embaixada, informou o correspondente da BBC Mohamed Osman, em Cartum. Eles haviam sido detidos no aeroporto com Meriam, mas foram liberados.

Com a agência de inteligência do Sudão envolvida no caso, uma solução deverá ser mais difícil e complicada, disse o correspondente da BBC.

Mais cedo, uma autoridade do Ministério de Relações Exteriores sudanês disse que Meriam era sudanesa e que não deveria usar um documento de viagem emitido por outro país, com um visto americano. Deverá ser exigido que Meriam solicite um passaporte e um visto de saída para sua libertação.

Grupos de direitos humanos acusam o governo sudanês de repressão.
FonteBBC

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Ataque mata 38 pessoas na Nigéria

Autoridades locais disseram nesta terça-feira (24) que 38 pessoas, a maioria mulheres e crianças, foram mortas por homens armados em um ataque a duas aldeias no estado de Kaduna, no norte da Nigéria
Nigeria woman.jpg
Ahmed Maiyaki, porta-voz do governador de Kaduna, Mukhtar Yero, confirmou o ataque, mas recusou-se a dizer qual o grupo étnico que pode ter originado a violência.

Aminu Lawan, porta-voz da polícia do estado de Kaduna, declarou ter tomado conhecimento dos ataques e precisou que foi aberta uma investigação para identificar os autores do ataque.

Kaduna, juntamente com o estado de Plateau, constitui a "cintura central", linha de separação entre o norte majoritariamente muçulmano e o sul cristão, e tem sido palco de confrontos inter-religiosos, cujo ponto de partida é, muitas vezes, disputas políticas.

A violência que se seguiu às eleições gerais de 2011, na Nigéria, deixou centenas de mortos em Kaduna. Paralelamente, existem tensões entre agricultores cristãos e pastores da etnia Fulani, muçulmanos.

A organização não governamental Human Rights Watch indicou em dezembro de 2013 que mais de 10 mil pessoas foram assassinadas nos estados de Kaduna e Plateau desde 1992 por causa da sua religião ou etnia.

Nos últimos meses, a Nigéria tem sido alvo de diversos ataques do Boko Haram - grupo radical islâmico que pretende a criação de um Estado independente no norte da Nigéria.
FonteAgência Brasil

Mulher sentenciada à morte no Sudão, Meriam Ibrahim, é libertada novamente

A Sudanesa, que foi absolvida da pena de morte na última segunda-feira (23), foi libertada depois de ter ficado detida com sua família no aeroporto de Khartoum
Foto_NoticiaMeriam_24062014.jpg
Meriam Ibrahim foi sentenciada ao enforcamento, em maio, após renunciar ao Islã, provocando indignação generalizada tanto em seu país como fora dele.
Cerca de 40 agentes de segurança deteram Meriam, seu marido, Daniel Wani, e seus dois filhos – no aeroporto, segundo relatores. Todavia, o Sudão informou aos Estados Unidos que ela e sua família haviam sido libertadas recentemente.
“Eles ficaram presos temporariamente por algumas horas por causa de questionamentos acerca de sua documentação”, informou Marie Harf, porta-voz do departamento de Estado dos Estados Unidos, aos jornalistas.
O governo do Sudão afirmou aos Estados Unidos que Meriam e seu marido estavam a salvo, comentou a Sra. Harf. Ela disse que os Estados Unidos está trabalhando com o Sudão para assegurar a saída deles, do país, com segurança.
Recentemente, um oficial sudanês de alto escalão, informou à BBC que apesar de a Sra. Ibrahim ser sudanesa, ela estava usando documentos de emergência do Sudão do Sul com um visto americano.
Ela deverá obter um passaporte e visto de saída no momento da sua liberação, informou Abdullahi Alzareg, do ministério de relações exteriores. O marido de Meriam é um cristão sudanês e possui nacionalidade americana.
Um dos advogados de Meriam, El-Shareef Ali, informou à BBC que ele e sua equipe tiveram acesso negado a ela.
FonteBBC
TraduçãoGrace Gil

terça-feira, 24 de junho de 2014

Cristã sudanesa condenada à morte é presa novamente

Segundo a CNN, Meriam Ibrahim e o marido, Daniel, foram detidos no aeroporto ao tentar sair do país. Meriam havia sido solta nesta segunda-feira (23)
Meriam baby.jpg
A sudanesa Meriam Ibrahim, solta nesta segunda-feira (23) após ser condenada à morte por abandonar o islã no Sudão, foi presa novamente nesta terça-feira (24), informaram seus advogados à emissora CNN.

Além de Meriam, de 27 anos, seu marido, Daniel Wani, também foi preso. Eles foram detidos em um aeroporto da capital do Sudão quando tentavam deixar o país.

Não foram divulgados mais detalhes sobre a prisão.

A condenação à forca de Meriam Yahia Ibrahim Ishag no dia 15 de maio provocou fortes críticas de vários governos ocidentais e grupos de direitos humanos. Quando foi condenada, a mulher estava grávida e deu à luz uma menina 12 dias depois do veredito.

Após o parto, foi levada da cela que dividia com seu primeiro filho e outras mulheres para o hospital da prisão.

Leia tambémCristã sudanesa Meriam Ibrahim é libertada
Sudanesa condenada à morte por apostasia dá à luz na prisão
FonteCNN

Cristãos são a luz de Deus em meio à guerra

De certa forma eles dizem que se acostumaram com os sons da guerra. Muitos cristãos ainda vivem na Síria (3º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa) e eles estão determinados a permanecer, já que eles veem o país como o lugar que Deus quer que eles estejam
Aleppo_David_Holt.jpg
Estes cristãos entendem que têm uma tarefa: ser sal e luz em meio à escuridão nesta guerra. Sadid* um colaborador da Portas Abertas em Aleppo (segunda maior cidade do país) escreveu para a equipe:

“Ontem outro míssil atingiu a nossa rua, a apenas 25 metros da nossa casa. Foi um milagre do Senhor, pois estamos bem. Embora haja uma série de danos e vítimas”.
Desta vez, Midan, um dos bairros da cidade de Aleppo, onde muitos cristãos armênios vivem, foi atacado. "Eles estão em uma situação muito trágica. Nos últimos três dias mais de 300 mísseis atingiram a área. É um desastre. Nós precisamos da misericórdia de Deus. Mais de dez famílias da nossa igreja estão vivendo lá e eles perderam tudo. Eles são refugiados agora. Nós temos que ajudar estas pessoas urgentemente".

Sadid e sua igreja já estão fazendo muito em Aleppo pelos refugiados e necessitados da sua congregação. É através do apoio que muitos cristãos ao redor do mundo têm dado à Portas Abertas, que ele e outros membros de sua igreja tornam-se uma expressão muito prática do amor de Deus para com o povo. “Como é difícil encontrar um lugar para os recém-refugiados viverem!”, ele diz. "Estamos nos preparando agora para recebê-los no salão da igreja".

"Infelizmente, a situação está ficando mais difícil", Sadid resume o que estão passando. "Estamos buscando a vontade de Deus. Apesar da situação, estamos tentando ser ‘a luz do Senhor’ em nossa área e comunidade”.

“Obrigado novamente por sua preocupação, sua ajuda e, sobretudo, por suas orações”, ele conclui.

*Nome alterado por motivo de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoBasílio Henrique

Cristã sudanesa Meriam Ibrahim é libertada

A pena de morte de Meriam foi anulada por um tribunal de recurso, informou a agência oficial de notícias Suna. Ela é casada com um cristão e foi condenada em maio sob a lei islâmica (sharia) por apostasia, após se recusar a renunciar ao cristianismo 
Meriam Ibrahim.jpg
Segundo um de seus advogados, Mohamad Mustafá, a cristã Meriam Yahia Ibrahim Ishag, que deu à luz na prisão após ser condenada por negar o islã, foi libertada nessa segunda-feira (23).

A condenação de Meriam à forca em 15 de maio provocou fortes críticas de vários governos ocidentais e grupos de direitos humanos. A mulher, filha de um muçulmano, foi condenada pela lei islâmica que proíbe as conversões, depois de ter se casado com um cristão com quem já tinha um filho de 20 meses.

Ela também foi condenada a 100 chicotadas por adultério, já que, segundo a interpretação sudanesa da sharia, as uniões entre uma muçulmana e um não-muçulmano são consideradas traição conjugal (apesar de ter sido criada como cristã, as autoridades do Sudão consideram Meriam uma muçulmana por causa da religião de seu pai).

Quando foi condenada, a mulher estava grávida e deu à luz uma menina 12 dias depois do veredito. Depois do parto, foi levada da cela que dividia com seu primeiro filho e outras mulheres para o hospital da prisão.

Mustafá e outro quatro advogados especializados em direitos humanos se encarregaram da defesa da jovem gratuitamente. Vários líderes políticos e religiosos europeus pediram que se revogasse a 'sentença desumana' pronunciada contra ela.

Louve ao Senhor pela libertação de Meriam e ore pelo seu retorno para casa, com o marido e os filhos.
FonteBBC e Globo

segunda-feira, 23 de junho de 2014

A perseguição aos cristãos nas Filipinas

Rona*, uma muçulmana que se converteu ao cristianismo, recentemente deixou de participar do Kitab (estudo da Bíblia) e comunhão com outros cristãos depois que seu tio ameaçou aleijá-la por causa de sua nova fé
Philippines_Believer 2012 0310008034.jpg
"Depois que recebemos essa informação, Rona já não podia ser contactada", disse o contato da Portas Abertas no sul das Filipinas. "Ela e os outros Tausugsnovos convertidos estavam muito empolgados em compartilhar o evangelho. Em pouco tempo, vários grupos de estudo Kitab foram abertos em outras áreas."
Rona estava entre os 17 ex-muçulmanos que foram batizados em abril passado. Eles pertencem à tribo Tausug, o mais leal dos 13 grupos muçulmanos no sul das Filipinas, quando se trata de preservar princípios e práticas islâmicas.
Um casal Tausug que também se converteu ao cristianismo iniciou estudos bíblicos em sua casa. O marido era um líder muçulmano. "Muitos vizinhos se aproximam do casal para aconselhamento espiritual", informou a fonte da Portas Abertas. "Eles ensinam a Palavra de Deus durante todo o dia. Eles não conseguem mais trabalhar. O marido disse que ele mesmo precisa de alimento espiritual."
Ruth*, uma trabalhadora filipina cristã, vem alimentando a fé de Tausugs que se tornaram cristãos. No entanto, ela manifestou preocupação sobre a segurança desses irmãos. Seus parentes, por exemplo, sabem o lugar onde eles se encontraram para estudo da Bíblia e comunhão.
"Eles estão procurando um lugar novo, mais seguro para atender à oração e discipulado. Ore para que Ruth saiba o que fazer, especialmente ao ministrar e liderar os cristãos Tausugs", afirmou o contato da Portas Abertas.
*Nomes alterados por razões de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoJoão Mingo