sábado, 30 de agosto de 2014

Portas Abertas entrega mensagens de apoio às famílias de Chibok

Já se passaram cinco meses desde que as meninas de Chibok foram sequestradas pelo grupo radical Boko Haram. Inicialmente, o caso ganhou forte cobertura na mídia internacional, mas, com o passar do tempo, não há nenhuma notícia das meninas. Mesmo quando todos se vão, a Portas Abertas continua e, na última semana, levou mensagens de apoio para as famílias30_Nigeria_0270100081_site.jpg
Com muita oração e temor, a equipe de campo da Portas Abertas realizou a arriscada viagem até Chibok, onde estavam 140 pais das meninas sequestradas. Lá, colaboradores da organização os presentearam com milhares de mensagens de encorajamento e fortalecimento escritas por cristãos de países ao redor do mundo. Houve muitas lágrimas de dor, mas havia abraços de esperança e incentivo também.

Hauwa, uma das mães, disse: "Todos esses meses, enquanto eu estive pensando sobre a minha vida e pedindo a Deus sobre a minha situação, pensei que estava sozinha nesta batalha. Eu pensei que todo mundo me odiava. Cheguei à conclusão de que a minha vida chegou ao fim, porque não havia ninguém que cuidasse de mim e me ajudasse nesse momento. No entanto, agora eu sei que muitas pessoas ao redor do mundo estão orando por mim. Estou em paz agora. Imagino que o amor de Cristo corre em minhas veias, me dando esperança no meu desespero. Todas estas orações mudaram a minha vida. Jesus, muito obrigada."

Você também pode fazer parte
Há outras campanhas de cartas disponíveis no site da Portas Abertas. Confira e participe! Cristãos perseguidos aguardam pela sua mensagem de apoio.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Cristãos egípcios são sequestrados na Líbia

Ore por quatro cristãos egípcios que foram sequestrados nesta semana na Líbia, perto da cidade de Sirte. Segundo o jornal Libya Herald, desconhecidos armados renderam os cristãos a caminho de Trípoli, na fronteira com o Egito, quando eles estavam para deixar o país
29_Libya_0260003424_site.jpg
De acordo com o Libya Herald, "eles estavam em um veículo com mais três egípcios – que são muçulmanos – e tinha acabado de passar por Sirte, quando foram parados em um posto de controle. Homens armados pediram para ver documentos e passaportes dos passageiros. Eles então começaram a perguntar a cada passageiro sobre suas crenças religiosas.”

Segundo relato de um dos outros passageiros, quando os homens armados perceberam que quatro dos egípcios eram cristãos, ordenaram que eles desembarcassem e deram ordem para que o motorista partisse com os outros três. Um dos passageiros e o motorista tentaram perguntar o que ia acontecer com os cristãos. Os sequestradores começaram a ameaçá-los, dizendo-lhes para sair imediatamente.

Quando os passageiros que seguiram viagem chegaram ao Egito, um deles informou a família das vítimas. De acordo com o grupo, o Ministério dos Negócios Estrangeiros também foi notificado e se comprometeu a tomar medidas.

Os quatro homens são os irmãos Jamal Matta Hakim, Rafat Matta Hakim, Romani Matta Hakim, e o filho de seu primo, Adel Sadiki Hakim.

A Líbia é o cenário de violentos combates entre milícias diferentes. Vários cristãos estrangeiros foram mortos durante este ano. Muitos estrangeiros deixaram o país por causa da falta de segurança.

A Portas Abertas reconhece este incidente como um resultado da situação de insegurança vigente no país. A perseguição aos cristãos está aumentando rapidamente.

Ore para que os quatro cristãos sequestrados sejam libertados em segurança. Peça também pela proteção dos cristãos líbios e estrangeiros no país.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Iraque

Situação
Nos últimos meses, a maioria dos cristãos fugiu do Iraque, principalmente de Mosul. Milhares deles têm sido forçados a abandonar suas casas somente com a roupa do corpo, deixando tudo para trás. O grupo extremista Estado Islâmico (Islamic State, também conhecido como IS, ISIS ou ISIL), em decorrência da guerra, tem como uma de suas missões exterminar o cristianismo e acabar com a Igreja no país.
Desde 1994, a Portas Abertas está no Iraque, lutando para manter esses corajosos irmãos vivos. E, hoje, o trabalho é ainda mais urgente e intenso. Cristãos refugiados precisam de auxílio para prosseguir a vida e sustentar sua família onde estão. Os poucos que permaneceram precisam de abrigo, alimento, água e remédios. A Igreja no Iraque precisa de socorro emergencial.
Sobre o projeto
Sua doação é muito valiosa. Através dela, a Portas Abertas continuará a:
suprir necessidades básicas, como água e comida;
prestar socorro médico e fornecer remédios;
providenciar abrigo;
desenvolver programas de encorajamento e aconselhamento pós-traumático;
financiar microcrédito para subsistência.
A Igreja iraquiana precisa de você para continuar viva e cumprir o seu papel. Fortaleça-a em oração e ajude com sua doação a quem mais precisa nesta hora.
Pedidos de oração
Clame pelos cristãos iraquianos, para que permaneçam firmes na fé, apesar das circunstâncias tão adversas. Que eles sejam fortalecidos ao saber que o Corpo de Cristo os está apoiando em oração e contribuindo financeiramente para ajudá-los.
Peça a Deus que o Espírito Santo os ajude a perdoar os opressores e testemunhar o amor de Cristo.
Ore ao Senhor pedindo que o conflito cesse, que os radicais se convertam a Cristo e que haja vida e não morte no Iraque.
Leia também
Carta de uma cristã iraquiana

Polícia invade a casa de líderes cristãos

No Uzbequistão, é comum que cristãos tenham suas casas invadidas e os materiais cristãos sejam confiscados. Muitos líderes são interrogados e agredidos pela polícia. Ainda assim, a Igreja continua a crescer
29_Uzbekistan_0040000085_site.jpg
Ore pelo irmão Raheem* e sua esposa Jamilya*. Eles são líderes de uma Igreja local em uma cidade no Uzbequistão. Há cerca de um mês, sua casa foi invadida pela polícia. Eles confiscaram todos os dispositivos eletrônicos, incluindo laptops, pen drives, discos rígidos externos e celulares por conterem conteúdo cristão.
As autoridades também confiscaram os passaportes do casal, alegando que irão devolver os documentos e tudo o que levaram após a decisão do tribunal. Até hoje nenhuma decisão judicial foi tomada.

Pedidos de oração
  • Ore por essa situação
  • Peça pela proteção de Deus sobre a família de Raheem e Jamilya.
*Nomes alterados por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Em menos de um mês, segundo pastor é morto

Outro pastor foi assassinado na cidade de Batangafo, perto da fronteira da República Centro-Africana com o Chade. O primeiro pastor centro-africano a perder a vida foi Jean Mbefara, que morreu em um dos conflitos entre milícias Seleka e anti-Balaka
28_CAR_0430101147.jpg
No último sábado (22), membros do grupo radical Seleka mataram o pastor Emmanuel Ngaissona, de 65 anos, da Igreja Evangélica da Cooperação na República Centro-Africana (ECEC, sigla em inglês), localizada em Batangafo. O crime aconteceu quando Ngaissona estava trabalhando fora da cidade.



Acredita-se que homens armados o seguiram até o campo onde ele trabalhava e o mataram. Segundo membros do Seleka, eles confundiram o pastor com um militante anti-Balaka. Ngaissona foi enterrado no domingo (23). Ele deixou sua esposa e cinco filhos.



Pedidos de oração
  • Ore pelo conforto e cuidado de Deus sobre a família. A cidade de Batangafo tem sido abalada nas últimas semanas por diversos ataques que já mataram dois pastores. Essa instabilidade reflete a tensão contínua na qual todo o país está mergulhado.
  • Interceda para que a comunidade cristã em Batangafo seja fortalecida e encorajada a permanecer firme, cuidando dos servos do Senhor que sobrevivem dia após dia em meio a tantos conflitos e perigos.
  • Peça ao Senhor para que a paz seja restabelecida.
Estenda a mão para a República Centro-AfricanaAo contribuir para os projetos da Portas Abertas na República Centro-Africana, você auxiliará em:
entregas de Bíblias e livros a cristãos carentes; seminários para novos convertidos; treinamentos para pastores e líderes, entre outros. Confira mais informações e participe!

Leia também
Pastor morre em conflito na República Centro-Africana
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Missionários americanos infectados com ebola recebem alta

“Eu não sabia, mas eu tenho aprendido desde então, que havia milhares, talvez mesmo milhões de pessoas ao redor do mundo orando por mim durante toda essa semana, e mesmo ainda hoje”, declara Kent Brantly
28_americans_ebola_r.jpg
O médico americano Kent Brantly, de 33 anos, e a enfermeira Nancy Writebol, de 59, que contraíram o vírus ebola de pacientes infectados na Libéria, receberam alta quinta-feira (21) após passar por tratamento com um medicamento experimental nos Estados Unidos. Eles receberam o soro ZMapp, produzido pela Mapp Biopharmaceutical, empresa com sede nos EUA.

Brantly e Nancy estavam internados numa área de isolamento do hospital Universitário de Emory, em Atlanta, na Geórgia, há três semanas. Os dois foram os primeiros americanos infectados com ebola a serem tratados nos EUA.

Brantly, em seu depoimento, relata a sua confiança e fé em todo o tratamento da doença. "Enquanto eu estava deitado em minha cama, na Libéria, ficando mais doente e mais fraco a cada dia, eu orei para que Deus me ajudasse a ser fiel a Ele, mesmo em minha doença. Eu orava para que em minha vida ou minha morte, Ele fosse glorificado", disse ele.

“Eu não sabia, mas eu tenho aprendido desde então, que havia milhares, talvez mesmo milhões de pessoas ao redor do mundo orando por mim durante toda essa semana, e mesmo ainda hoje. E eu tenho ouvido muitas histórias de como esta situação tem impactado a vida de muitas pessoas ao redor do mundo, tanto entre os meus amigos e família. Eu não posso agradecer o suficiente pelas orações e apoio. Mas o que eu posso dizer é que eu sirvo um Deus fiel, que responde às orações", agradece Brantly.

A missionária Nancy Writebol, que já tinha tido alta na terça-feira (19), ainda está com a saúde fragilizada e se mantém em repouso, de acordo com seu marido David Writebol. Ela está se sentindo muito encorajada de saber que tantas pessoas ao redor do mundo estão orando por sua saúde”, declara David.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 2.473 pessoas foram infectadas e 1.350 morreram desde março. A OMS disse que nenhum caso da doença foi confirmado fora de Guiné, Serra Leoa, Libéria e Nigéria – países afetados pelo surto – apesar de suspeitas terem surgido em outros lugares.

Foto: A enfermeira Nancy Writebol com crianças na Libéria, em outubro de 2013.
FonteÉpoca, CPAD News, agências internacionais

Igreja é fechada no Sudão

Agentes de segurança fecharam a Igreja Central de Cartum nesta segunda-feira (25). Segundo eles, a razão para o fechamento é que o edifício foi registrado como escritório, mas usado como um local de culto
28_Sudan_0270001230_site.jpg
Os agentes de segurança listaram todos os bens do interior da igreja e deram uma cópia para os líderes, antes de fecharem o prédio. Os responsáveis precisam solicitar a aprovação do governo para usar o edifício como local de culto.

Quando alguns líderes da igreja foram ao escritório de segurança, com a certidão de propriedade, para impedi-los de fechar a igreja, eles foram surpreendidos ao verem uma declaração assinada por um membro sênior da igreja declarando que a propriedade era apenas para ser usada como escritório e não como igreja.

Suspeita-se que ele assinou o depoimento sob pressão e lhe foi dito para não contar a ninguém. "Por favor, ore para este caso seja resolvido. Os líderes e pastores da igreja estão muito preocupados. Eles ainda não sabem onde irão realizar os cultos", informou um funcionário local.

Em julho, o governo demoliu o edifício da Igreja de Cristo no Sudão, em Bahri, norte de Cartum. Mais tarde, ainda no mesmo mês, autoridades anunciaram o congelamento de licenças para a construção de novas igrejas.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastg

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Estado Islâmico (EI) sequestra menina cristã de três anos

A menina assíria Christina Khader Ebada, de 3 anos de idade, foi raptada de sua família cristã no norte do Iraque enquanto fugiam de Qaraqosh, de acordo com a Agência Internacional de Notícias Assíria (AINA)
27_Iraq_Christina_site.jpg
Em julho, as forças do Estado Islâmico (EI, antigo ISIS – sigla em inglês) tentaram ocupar a cidade de Qaraqosh, mas militantes curdos conseguiram expulsar os rebeldes, enquanto anciãos, mulheres e crianças fugiram para cidades vizinhas. O lugar é perto da antiga cidade bíblica de Nínive.

O fracasso inicial na tentativa de domínio da cidade fez com o Estado Islâmico cortasse o fornecimento de água de Qaraqosh e colocasse um embargo sobre a cidade, de modo que aldeias muçulmanas vizinhas encerraram todas as negociações com os comerciantes locais. Aqueles que permaneceram foram deixados lutando pela sobrevivência.

Em 6 de agosto, tropas curdas se retiraram da cidade e, no dia seguinte, o Estado Islâmico invadiu o território. Muitos se juntaram aos 150 mil cristãos assírios que foram forçados a caminhar em direção a Erbil, sem seus carros e posses porque forças curdas temiam a infiltração islâmica, de acordo com a AINA.

O EI acompanhou a família de Christina, assim como muitos outros moradores, para o posto de controle Khazar e disse-lhes para sair e nunca mais voltar. A menina foi vista pela última vez por sua mãe chorando e soluçando quando um militante do EI a levou embora.

Mantenha a Igreja viva no IraqueAtravés de projetos de apoio aos refugiados, materiais cristãos e aconselhamento pós-trauma, colaboradores da Portas Abertas trabalham a cada dia para suprir as necessidades mais imediatas e vitais. Ajude-nos a manter a Igreja viva no Iraque!
FonteAINA
TraduçãoAna Luíza Vastag

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Boko Haram avança pela fronteira da Nigéria e Camarões

O grupo islâmico radical Boko Haram assumiu o controle da cidade de Ashigashya, no estado de Borno, na fronteira entre a Nigéria e Camarões. Os rebeldes estabeleceram-se no local durante a noite de segunda-feira (25)
27_Nigeria_0040004107_site.jpg
Meios de comunicação relatam que o grupo matou três pessoas em frente a uma igreja, mas a Portas Abertas não tem mais detalhes sobre isso. É difícil determinar quais partes do nordeste da Nigéria já foram dominadas pelos rebeldes, porque viajar para a área é muito perigoso e a luta prolongada atingiu redes móveis de telefonia e internet.

Apesar disso, na segunda-feira (25), o Boko Haram também anunciou a criação de um estado islâmico nessa região que controla no nordeste da Nigéria. O comunicado foi feito pelo líder do grupo, Abubakar Shekay, em um vídeo de 53 minutos no qual ele parabeniza os guerrilheiros que, no início deste mês, conquistaram a cidade de Gwoza.

Os combates recentes mobilizaram 500 soldados nigerianos para além da fronteira com Camarões. De acordo com uma fonte da polícia, o Boko Haram está tentando assumir cidades em Camarões também.

O ministro das comunicações de Camarões, Issa Tchiroma Bakary, afirma que o país está intensificando os esforços para acabar com a violência do Boko Haram em seu território. "Nós decidimos não poupar nenhum empenho para conter as agressões e manter o Boko Haram fora de nossa nação. Soldados de Camarões têm instruções para defender nossas fronteiras. Então, eles vão lutar o tempo que for necessário para proteger o país desses ataques”.

Pedidos de oração
  • Peça a Deus que derrame sua graça  sobre todos que têm enfrentado a violência brutal, o deslocamento e o sofrimento.
  • Interceda para que o amor de Cristo brilhe apesar da escuridão desta situação.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Atenção: comunicado oficial da Portas Abertas

Mensagem que tem circulado por aplicativos de celular e redes sociais, em nome da Portas Abertas, sobre cristãos em iminente perigo de serem decapitados não procede
Comunicado_Iraque_SitePA_Imagem.jpg
Nos últimos dias, tem circulado um texto nas redes sociais e mensagens no celular, em nome da Portas Abertas, sobre cristãos no Iraque em iminente perigo de serem decapitados. Esta informação não procede da Portas Abertas e ainda não há a confirmação desse fato junto aos nossos contatos no Iraque.

Não é o objetivo da Portas Abertas, de forma alguma, subestimar a extensão do horror que cristãos do Iraque estão enfrentando, assim como outras minorias, nas mãos do Estado Islâmico. Porém, espalhar boatos como este não ajuda a causa.

As últimas informações sobre o que está acontecendo em áreas como o Iraque e a Síria podem ser encontradas no site da Portas Abertas e outros canais oficiais da organização como o facebook, o twitter, o instagram e e-mail. Até o momento, a Portas Abertas não utiliza mensagens de texto para divulgar informações.

Este último fato, porém, não minimiza a necessidade urgente de oração pelo Iraque. Continue a orar por nossos irmãos iraquianos. A situação da comunidade cristã no país é realmente crítica e, para muitos, tudo o que lhes resta é a sua fé. Fortaleça-os através da sua intercessão. 



Mantenha a Igreja viva no Iraque!
FontePortas Abertas Brasil

Mulheres iraquianas sofrem por sua fé em Cristo

Amala* passou por uma situação traumática unicamente por conta da sua fé em Jesus. O mesmo tem acontecido com muitas mulheres no Iraque, violentadas por escolher servir a Deus
26_Iraq_0380000503_site0600.jpg
Todos os anos, centenas de meninas cristãs são estupradas por muçulmanos extremistas no Iraque. Cada uma delas tem medo de que a sua situação se torne pública. Algumas dessas meninas são obrigadas a se casar com seus estupradores; outras se sentem tão sem esperança que acreditam que a sua única solução é cometer suicídio.
A pesquisadora Jane explica que o estupro de mulheres cristãs no Iraque é parte de um quadro maior. "Todo ato de violência contra a mulher faz parte da perseguição à qual elas são submetidas aqui", compartilha Jane. Amala, a mulher cuja história você está prestes a conhecer, é apenas uma das muitas vítimas cristãs no Iraque.
Quando Amala decidiu estudar, ela teve o cuidado, reconhecendo os perigos de ser uma mulher cristã. Ela tomou medidas para proteger-se, mas suas precauções não foram suficientes. Quando Amala estava prestes a se casar, um dos homens envolvidos em seus estudos disse que sua esposa suspeitava de que ele tinha um relacionamento com Amala. Ela conhecia e confiava no homem e concordou em visitar a sua casa, a fim de explicar as coisas para a sua esposa. O que aconteceu depois que Amala chegou à casa do homem mudou a sua vida em um instante: durante as horas mais escuras da sua vida Amala foi estuprada.
Neste exato momento, diversas mulheres cristãs, como Amala, estão lutando com o que aconteceu com elas. A Portas Abertas tem atuado em treinamentos pós-trauma no Iraque na esperança de que cada uma dessas mulheres possa, eventualmente, ter alguém que irá ajudá-la a reconhecer e lidar com o trauma, e que irá ajudá-la a encontrar esperança novamente em Cristo.

Mantenha a Igreja viva no IraqueRecentemente, a situação que já era difícil para a Igreja no Iraque, piorou por conta do avanço do Estado Islâmico nas cidades do país. Você pode ajudar a manter a Igreja viva no Iraque. Participe!

Pedidos de oração

  • Ore para que todas as vítimas de estupro experimentem o amor sobrenatural, a cura, o perdão e a graça de Deus sobre suas vidas.
  • Interceda também por mais oportunidades da Portas Abertas de formar líderes capazes de acolher pessoas que sofram com algum trauma, para que a Igreja pode ser ensinada a reconhecer e cuidar de cristãos que enfrentam forte perseguição.

*Nome alterado por motivos de segurança

FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O ministério de estar junto

O chamado era certo, mas a pressão era forte demais. Será que este cristão uzbeque resistiria?
26_Uzbekistan_0250000352_site.jpg
Askar* estava cansado de toda aquela pressão. Em seu país, Uzbequistão, as igrejas evangélicas são vistas com suspeita pelo governo, o qual crê que a religião deve ser controlada ou simplesmente banida.

Por conta disso, Askar é um alvo constante da polícia. Ele lidera uma igreja doméstica, e compartilha o evangelho com quem estiver disposto a ouvi-lo. Já foi preso duas vezes — na primeira vez, passou 10 dias na prisão; na segunda, 15 dias. "Eles me acusaram de ter contato com grupos extremistas e de distribuir livros censurados".

Askar se converteu pouco depois da queda da União Soviética. Ele é de uma família islâmica, e quando descobriu que seu irmão se tornara cristão, ficou muito contrariado. "Falei com ele por horas, e nossas discussões eram agitadas. Acusei-o de uma porção de coisas, mas ele não mudou. Quem mudou foi eu. Eu havia percebido o poder salvador do evangelho".
Em busca da terra prometidaAskar tentava ser forte, mas uma pergunta não saía de sua mente: "Por que não posso praticar minha fé livremente em meu país?". Sonhando com os Estados Unidos, a terra da liberdade, Askar pensava em ir embora para lá com a esposa e os quatro filhos.

No começo deste ano, a polícia o chamou para outro interrogatório. "Esta será a terceira vez que você vai para a cadeia, e vai ser por mais tempo", o policial o alertou.

"Quando voltei para casa, disse ao meu irmão que estava cansado daquela pressão. Para mim, chega, vou embora", relembra.

Não muito tempo depois disso, Askar participou de uma reunião com um colaborador da Portas Abertas e membros de outras igrejas da região. Eles compartilharam trechos da Palavra, e o colaborador tentou animar aqueles cristãos a perseverar. Por fim, o grupo foi orar junto.

Após o amém final, Askar pediu a palavra, com o rosto banhado em lágrimas. "Cada vez que um de vocês é interrogado, sinto-me muito mal. Sei que todos querem ir embora também. Mas agora, enquanto estávamos orando, Deus me perguntou: ‘Askar, se não for você, quem irá me adorar e me servir no Uzbequistão?’ Tive de tomar uma decisão. A terra prometida não é os Estados Unidos. É o Uzbequistão. Servirei a Deus com minha família aqui, a despeito do que o futuro nos reservar".

Reuniões como essa acontecem em diversos lugares do mundo, onde cristãos são perseguidos. A Portas Abertas investe na viagem de colaboradores ao campo para que encorajem cristãos que se encontram na situação de Askar e orem por eles. O ministério de presença é o ponto de partida de muitos projetos nossos e de muitas vidas transformadas por Deus.

*Nome alterado por motivos de segurança.
FonteRevista Portas Abertas

O avanço da perseguição aos cristãos do Mali

Há dois anos, igrejas foram queimadas e diversos cristãos se tornaram alvo de agressões e ataques. Em 2014, o Mali ocupa o 33º lugar da Classificação da Perseguição Religiosa
26_Mali_site.jpg
Em 2012, o Mali parecia ser outro Estado à beira de sucumbir a uma tomada islâmica. Mas em janeiro de 2013, o exército francês interveio e ajudou a estabilizar a situação, pelo menos temporariamente. Infelizmente, para a comunidade cristã, a infraestrutura do cristianismo no norte foi, em grande parte, destruída.

Os cristãos que estão lentamente voltando para o norte do país são forçados a reunir-se em salas de aula porque as igrejas foram saqueadas ou demolidas. Um colaborador da Portas Abertas comentou: "Construir uma presença cristã de novo vai ser muito difícil, e a maioria dos cristãos que fugiu do norte está com medo de voltar."
Mesmo que grande parte dos cristãos do Mali, que compõem menos de 5% da população, viva na região sul, eles ainda se sentem ameaçados por radicais islâmicos do norte e temem um novo levante.
As ameaças deixaram a comunidade cristã abalada, mas confiante na proteção de Deus. Ore para que os cristãos sejam fortalecidos e tenham condições de levantar novas igrejas e locais de culto.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Criança conta como sobreviveu à perseguição do Estado Islâmico

Olhando para a cruz desenhada à mão em seu braço, Aws, de dez anos de idade, explica por que não quer ir para casa
25_Iraq_Aws_site.jpg
Aws nasceu em uma família cristã, no norte do Iraque. Quando ele era apenas um bebê, seu pai foi morto por jihadistas. Após essa tragédia, sua família mudou-se para uma pequena aldeia perto de Mosul, onde lutou por anos para reconstruir suas vidas. Sua mãe trabalhava incansavelmente e economizava para conseguir comprar uma casa para morar com os filhos.

Nessa época, os ataques do Estado Islâmico (EI) tiveram início em Mosul.

O menino Aws descreve: “As bombas explodiam sempre muito perto, tanto, que todas as janelas da casa que morávamos já estavam quebradas. Muitas pessoas foram mortas. Por isso, tivemos de fugir."

Ele e sua família deixaram tudo para trás por causa da violência, chegando a Maryouss, uma igreja em Sulemaniyah, onde milhares de outros refugiados cristãos estavam abrigados. Como muitos cristãos iraquianos, Aws não está preparado para voltar para casa tão cedo.

Perguntado se ele quer voltar para sua casa perto de Mosul, ele olha para baixo. “Não, aqui é melhor”, diz ele.

Muitos cristãos que fugiram de ataques do Estado Islâmico afirmam que, apesar do risco de enfrentar a morte, converter-se ao islã nunca foi uma opção.

"As pessoas dizem que seria mais fácil se eu me tornasse um muçulmano, mas minha religião é tudo o que eu tenho agora – por que eu iria desistir da minha fé em Jesus?", compartilha um cristão. "Eu prefiro morrer."

A Portas Abertas está empenhada em manter cristãos como Aws seguros e vivos, mesmo em meio à forte perseguição. Através de projetos de apoio aos refugiados, materiais cristãos e aconselhamento pós-trauma, colaboradores da Portas Abertas trabalham a cada dia para satisfazer as necessidades mais imediatas e vitais.

Participe e ajude a manter a Igreja viva no Iraque!
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Pastor morre em conflito na República Centro-Africana

A Portas Abertas foi informada que o pastor centro-africano Jean Mbefara perdeu a vida em um dos conflitos entre milícias Seleka e anti-Balaka, que abalaram a cidade de Batangafo, perto da fronteira com o Chade, no início de agosto
25_CAR_0430101269_site_1630.jpg
Forças anti-Balaka atacaram membros do Seleka em uma batalha que durou quatro horas. Quando os membros do anti- Balaka se retiraram, militantes do Seleka saíram pela cidade com o intuito de punir civis. Fontes da Portas Abertas na área disseram que membros do Seleka foram de porta em porta buscando e matando os homens que encontravam.

Eles também chegaram à casa do pastor Jean Mbefara da Igreja do Evangelho Quadrangular e mataram ele, seu filho mais velho e muitos dos que haviam se escondido na casa dele. As idades de todos são desconhecidas, assim como mais informações da família que deixaram.
O motivo que levou militantes anti-Balaka atacar grupos do Seleka ainda não está claro. A agência de notícias AFP informou que pelo menos 22 pessoas morreram e várias dezenas ficaram feridas no ataque.
A instabilidade continua na República Centro-Africana, enquanto o país aguarda a implantação de uma Operação de Paz da ONU, em meados de setembro.
Pedidos de oração
  • Ore pelo conforto e provisão de Deus para as famílias enlutadas.
  • Interceda para que a paz seja restabelecida.
  • Peça ao Senhor para que todos aqueles que tentam ministrar às pessoas necessitadas, incluindo colaboradores da Portas Abertas, sejam fortalecidos mesmo em meio à violência contínua.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag