sábado, 31 de janeiro de 2015

Um encontro debaixo da árvore que mudou a vida dos cristãos no Sudão do Sul

31 jan 2015SUDÃO DO SUL

“Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito” (Is 53.11, RA)
31_SudaodoSul_0380006089
George é um homem que pode se dizer satisfeito com seu trabalho, iniciado em 1996. Naquela época, tudo o que ele tinha eram cinco pessoas e uma árvore. Os cinco eram pastores sudaneses com a enorme tarefa de guiar suas igrejas em meio a guerras civis, pobreza e perseguição.
Os primeiros anos não foram fáceis. O grupo de líderes aumentou, mas logo alguns deixaram de comparecer sob a árvore. O motivo era a fome extrema, que os impossibilitava de fazer as longas caminhadas (algumas duravam dias) até o treinamento. O pedido de ajuda foi feito e, logo, aviões carregados de doações enviadas pelos parceiros da Portas Abertas sobrevoavam o interior do Sudão do Sul, reavivando a esperança daqueles irmãos.
Hoje George vê o fruto do seu ministério. Em vez de uma árvore, telhados e paredes de alvenaria acolhem novos estudantes. No lugar de fome, refeições diárias são servidas. Em vez de cinco pessoas, cerca de 500 transitam pelo terreno da agora chamada Faculdade Cristã Emanuel. Outros centros estão sendo construídos no país, baseados no modelo que George começou embaixo de uma árvore.
A Faculdade é um refúgio para muitos dos seus alunos. Alguns chegam com o mero intuito de sobreviver. São convertidos que escaparam da morte, como o Mohammad. Ele vivia no Sudão, e sua casa era uma mesquita. Quando se converteu, a família começou a persegui-lo e ele fugiu. Chegando à Faculdade, Mohammad aprofundou seu conhecimento da Palavra e agora busca uma forma de compartilhar o evangelho com sua família.
Há outros que chegam lá porque têm um chamado para pastorear congregações e evangelizar. Muitos obreiros formados na Faculdade partem para países vizinhos como missionários. O Samir é um deles; com a diferença de que não irá para um país vizinho: voltará aos Montes Nuba, ao norte, região de onde veio e onde quase perdeu a vida. “Preciso pregar o evangelho para o meu povo”, diz ele, emocionado por ter se formado em Teologia.
Ao formar profissionais dotados de valores cristãos, a Portas Abertas visa fortalecer a Igreja e, como consequência, o país.
FontePortas Abertas Brasil

Jornalista cristão sob poder do Estado Islâmico corre risco de morte

30 jan 2015INTERNACIONAL

O Estado Islâmico (EI) ameaçou matar o cristão japonês Kenji Goto e o piloto jordaniano Moaz Kasasbeh se a terrorista iraquiana Sajida al Rishawi, que está presa na Jordânia, não for libertada
30_Internacional
O jornalista cristão japonês Kenji Goto foi capturado por militantes do Estado Islâmico recentemente, durante uma de suas viagens para a Síria. Ele teria ido à cidade de Aleppo para ajudar a encontrar seu amigo Haruna Yukawa, que também havia sido sequestrado anteriormente.
Yukawa foi capturado em agosto fora de Aleppo. Goto, que havia retornado para a Síria no final de outubro para tentar ajudar seu amigo, também estava desaparecido desde então.
A unidade no Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão estava buscando informações sobre ele desde agosto, segundo as pessoas envolvidas nesse esforço. O desaparecimento de Goto não havia sido relatado até o vídeo da última terça-feira, aparentemente mostrando ele e Yukawa ajoelhados, vestindo camisetas alaranjadas ao lado de um mascarado militante do Estado Islâmico, que empunhava uma faca. No vídeo, o terrorista exigia 200 milhões de dólares para libertar os dois.
Yukawa conheceu Goto na Síria em abril e pediu-lhe para leva-lo ao Iraque. Ele queria saber como operar em uma zona de conflito e eles foram juntos em junho. Yukawa voltou para a Síria em julho por conta própria.
"Ele estava infeliz e não sabia o que estava fazendo. Ele precisava de alguém com experiência para ajudá-lo", disse Goto, de 47 anos, à Reuters, em agosto.
O sequestro de Yukawa esse mês, assombrou Goto, que sentia que tinha que fazer algo para ajudar o amigo."Eu preciso falar com eles face a face. Eu acho que isso é necessário", afirmou ele, referindo-se a moradores que trabalham para correspondentes estrangeiros, criando reuniões e ajudando com o idioma local.
Goto começou a trabalhar como correspondente de guerra em tempo integral em 1996 e tinha estabelecido uma reputação como um operador cuidadoso e confiável para as emissoras japonesas, incluindo a NHK.
"Ele entendeu o que tinha que fazer e ele foi cauteloso", disse Naomi Toyoda, que trabalhou com Goto a partir da década de 1990. Goto, que se converteu ao cristianismo em 1997, também falou de sua fé no contexto de seu trabalho.
"Já vi lugares horríveis e tenho arriscado a minha vida, mas eu sei que de alguma forma, Deus sempre me salva", disse ele, em maio. Mas ele disse à mesma publicação que ele nunca se arriscou de forma imprudente, citando uma passagem da Bíblia: "Não tentarás o Senhor teu Deus".
Em outubro, a esposa de Goto teve um bebê, segundo filho do casal. Ele tem uma filha mais velha de um casamento anterior, segundo informaram as pessoas que conhecem a família.
Na mesma época, ele fez planos para ir à Síria e carregou vários clipes curtos de vídeo para seu Twitter, uma mostrando-lhe com credenciais de imprensa emitidas por rebeldes anti-governo em Aleppo.
Em 22 de outubro, ele enviou um conhecido – um professor do ensino médio – para dizer que ele planejava estar de volta no Japão, no final do mês.
Goto disse a um parceiro de negócios com os quais ele estava trabalhando para criar um aplicativo de notícias on-line que ele poderia viajar no território controlado pelo Estado Islâmico por causa de sua nacionalidade.
"Ele disse que, como um jornalista japonês, esperava ser tratado de forma diferente que os jornalistas americanos ou britânicos", disse Toshi Maeda, recordando uma conversa com Goto antes de sua partida para a Síria. "O Japão não participou de bombardeio, e apenas forneceu ajuda humanitária. Por essa razão, ele pensou que poderia garantir a cooperação do Estado Islâmico".
Amigos de Goto dizem que ele viajou de Tóquio a Istambul e de lá viajou para a Síria, enviando uma mensagem em 25 de outubro, que ele tinha cruzado a fronteira e estava a salvo. "Aconteça o que acontecer, esta é a minha responsabilidade", disse Goto em um vídeo gravado pouco antes de partir para Raqqa, a capital do Estado Islâmico.
Essa foi a última vez que ele foi visto antes do vídeo em que apareceu como um dos reféns. Em vídeo mais recente, Goto vestia o mesmo macacão laranja, mas, desta vez, exibia a imagem de uma cabeça decapitada — supostamente a de seu colega de cativeiro Haruna Yukawa.
O Japão continua nesta sexta-feira (30) à espera de notícias da Jordânia sobre a situação do jornalista e do piloto jordaniano, também mantido refém pelo EI. O prazo estabelecido pelo grupo jihadista para a execução de ambos se suas reivindicações não fossem cumpridas venceu durante a tarde desta quinta-feira (29).
FonteGospel Prime, O Globo, Reuters, G1

Relatório conscientiza sobre violações dos direitos humanos na América Latina

30 jan 2015AMÉRICA LATINA

A ONG Human Rights Watch (HRW) publicou nesta quinta-feira (29), seu relatório anual, no qual afirma que a Venezuela é um dos países da América Latina que não respeitam os direitos humanos. O documento cita outros países da região
30_Venezuela_reuters
O acúmulo de poder e o não cumprimento das garantias individuais permitiram que o governo venezuelano "intimidasse, se transformasse em censor e perseguisse seus críticos", diz a HRW no Relatório Mundial 2015 (disponível em inglês).
Outros países
O relatório também cita a Argentina, afirmando que continuam existindo ameaças à liberdade de expressão e uma pequena compreensão da legislação sobre liberdade de imprensa.
HRW também critica o governo mexicano por ter realizado poucas ações de combate à corrupção e à impunidade, o que resultou em uma "epidemia" de graves abusos. A chamada "guerra às drogas", lançada em 2006 no país, com forte atuação militar contra os cartéis de drogas, "resultou em uma epidemia de execuções sumárias, desaparecimentos forçados e tortura por parte de militares e policiais", afirma o documento.
Para a ONG, o atual presidente Enrique Peña Nieto "não realizou ações significativas para acabar com a corrupção e a impunidade, o que permitiu o aumento dessas atrocidades". Os abusos culminaram no desaparecimento, e provável morte, de 43 estudantes no Estado de Guerrero.
A perseguição aos cristãos nesses paísesTodos os anos, a Portas Abertas publica a Classificação da Perseguição Religiosa, lista dos 50 países que mais perseguem os cristãos. Em 2015, Colômbia e México ocupam o 35º e o 38º lugar do ranking, respectivamente.
Venezuela, Cuba e Bolívia não estão entre as 50 nações da classificação, mas também são palco de perseguições relacionadas à fé cristã. A Portas Abertas está preparando um material especial sobre a América Latina. Em breve, estará disponível no site.
FontePortas Abertas Internacional e Estadão

Líder de Igreja secreta no Uzbequistão precisa das suas orações

30 jan 2015UZBEQUISTÃO

Frequentemente, a Portas Abertas relata casos de cristãos que são levados ao tribunal, têm suas casas revistadas e materiais confiscados. Recentemente, a casa de Sergey* foi invadida pela polícia local
30_Uzbequistao_0430102443
Um policial explicou a Sergey que houve uma denúncia, recebida de fonte anônima, alegando que Sergey é membro de uma organização religiosa ilegal. Uma semana depois, o cristão foi convocado a comparecer no tribunal, onde foi acusado de envolvimento em distribuição de materiais e literatura religiosa ilegal.

Como prova, o Ministério Público apresentou vários livros e CDs de conteúdo cristão que há um ano ele deu a um dos membros da igreja. A mulher para quem Sergey deu os materiais trabalha no escritório da administração da cidade.

Sergey pode ser multado como sanção administrativa em 50 salários mínimos, o que é cerca de R$3.900,00. Ele foi solto, mas, em seguida, lhe disseram que há a possibilidade de ser convocado novamente.

Ore por Sergey e sua família, para que todas as acusações contra ele sejam retiradas.

*Nome alterado por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Polícia invade a casa de cristãos no Turcomenistão

29 jan 2015TURCOMENISTÃO

20º país mais opressor aos cristãos, o Turcomenistão é considerado um dos países mais restritos do mundo. Apesar de não existirem grupos extremistas muçulmanos, o islã tem um importante papel na vida da comunidade e as famílias reagem fortemente contra os parentes que mudam sua fé
29_Turkmenistan_0430102438
Ore por duas famílias cristãs de uma das cidades do Turcomenistão. Dois dias atrás, durante a hora da refeição, em que estavam todos juntos na casa de uma das famílias, agentes da polícia secreta invadiram o lugar. Em um dos quartos eles encontraram uma Bíblia e um Injil (Evangelho na língua local: turcomeno).

Em seguida, a polícia levou todos os membros de ambas as famílias para a delegacia para interrogatório e preparação do protocolo. Por fim, os policiais os liberaram às 2 da manhã e o oficial disse-lhes que em breve eles seriam chamados para outro interrogatório.

Interceda por Baurzhan* e Nurzhamal* (pais dessas duas famílias), por suas esposas e filhos, que agora estão com medo e sob pressão, unicamente por causa de sua fé em Jesus.

*Nomes alterados por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Manifestações em Bangladesh têm afetado a ação da Portas Abertas

29 jan 2015BANGLADESH

Desde 6 de janeiro, Bangladesh tem registrado o bloqueio do transporte público em todo o país por tempo indeterminado e uma série de greves convocadas pelo Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP), que é o partido da oposição
29_Bangladesh_0310008128
Em diversos espaços do país, a violência teve lugar: pelo menos 38 pessoas foram mortas e mais de 200 ficaram feridas, a maioria em incidentes de incêndio culposo.
As pessoas agora convivem com o medo de bombas de gasolina. A agitação política trouxe incerteza e danos em todos os setores do país. O ministério da Portas Abertas também foi afetado; colaboradores locais tiveram de reagendar alguns programas.
Ore pelo governo, especialmente o primeiro-ministro Sheikh Hashina, para que ele consiga controlar a situação rapidamente e com firmeza. Também interceda por segurança, sabedoria e orientação para a equipe da Portas Abertas em Bangladesh.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

“Sonho com um país que encontre a paz em Deus”

29 jan 2015COLÔMBIA

No início de dezembro, seis adolescentes se formaram e deixaram o Centro Infantil sustentado pela Portas Abertas na Colômbia cheios de esperanças e sonhos
29_Colombia_0280100386
Foi um momento muito emocionante para todos. A formatura marcou oficialmente o término de seus estudos e de sua permanência no Centro Infantil. Depois de anos, chega a hora de partir e começar uma nova etapa da vida. Um dos formandos é Sofia*, de 16 anos.
Em 2009, Sofia foi morar no Centro Infantil. "Vim para cá cinco meses após a morte de meus pais. Eles eram cristãos e foram mortos por causa de sua fé. Meus pais sempre falaram de Jesus para mim. Sou grata a Deus por ter mantido minha fé nele. É claro que eu perguntei a Deus por que ele não fez um milagre na vida dos meus pais. Mas eu nunca, nunca pensei em abandoná-lo. Não posso e não vou deixá-lo”, compartilha ela.
“Amadureci muito nos anos em que vivi no Centro Infantil. Agora eu sei que o que aconteceu com os meus pais não foi à toa. Sei o que é perder os pais. Com isso, posso ajudar outras crianças que também perderam a família".
Adeus 
"Estou triste por deixar o Centro Infantil porque esta casa é o lugar onde meu caráter foi formado e onde encontrei uma nova família. Eu fazia parte da equipe de louvor e gostava de cantar na igreja. Nos últimos dois anos estive muito ocupada com os estudos, mas foi um bom tempo.”
Futuro
"Meu futuro é incerto. Quero estudar comunicação social, mas os estudos são caros e todos os meus parentes têm a sua própria família para cuidar. Pensei em viver com meus parentes, mas eles não são cristãos e me aconselharam a abandonar Jesus por causa do que aconteceu com os meus pais. Eu sempre me preocupei muito com o futuro, mas um dia Deus me deu uma promessa pela sua Palavra. Ele me disse através de um versículo que sabia os planos que tinha para mim. Ele nunca vai me deixar. Ele é o meu pai.”, explica Sofia.
Abaixo, assista ao vídeo que conta a história de Sofia e outros adolescentes que vivem no Centro Infantil.
*Nome e foto alterados por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoDaniela Cunha

Presos no Natal, onze cristãos permanecem detidos no Irã

28 jan 2015IRÃ

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido demonstrou sua preocupação com o governo iraniano sobre a detenção na notória prisão Evin do ex-líder da Igreja Pentecostal Assíria de Teerã, bem como duas outras pessoas cujo paradeiro permanece desconhecido
28_Iran_0260008536 
 O pastor Victor Beth Tarmez, de 60 anos, e dois outros cristãos, que eram seus convidados, foram presos quando agentes de segurança do Estado iraniano invadiram a casa de Victor durante a celebração do Natal que ele realizava na noite de 26 de dezembro. A reunião foi considerada “não autorizada e ilegal”.

Mansour Borji, da comissão Artigo 18 do Conselho de Igrejas Iranianas Hamgaam(“Caminhando juntos”, em dari), afirmou ao World Watch Monitor (WWM) que a família de Victor está receosa quanto à sua saúde por ele ser diabético. Borji também disse que os detalhes da verdadeira acusação pela qual ele está preso ainda não estão claros.
Ao WWM, Borji afirmou que Victor foi forçado a falar em farsi com sua família em uma chamada telefônica muito breve, da prisão, em vez de usar sua língua nativa assíria, para que os guardas pudessem monitorar o que era dito.
O Ministério das Relações Exteriores britânico escreveu: “O governo do Reino Unido está profundamente preocupado com a atual perseguição de minorias religiosas do regime iraniano, incluindo os cristãos. O Reino Unido e a comunidade internacional esperam que o Irã viva de acordo com o direito à liberdade de religião e crença, como prescrito no Artigo 18 do Acordo Internacional dos Direitos Políticos e Civis”.
Mais prisões durante o Natal Mansour também confirmou ao WWM que mais oito cristãos foram presos no dia de Natal em uma casa na província de Teerã e, desde então, foram transferidos para uma localidade desconhecida.
São eles Mehdi Kian, Ali Sadraddin, Mohammad Kazemi, AzinFaroudi, Mohammad Hossein Moridian, Maryam Narimani, AlirezaNasiri e Matin.
Outra organização, Middle East Concern, relatou que, no Natal, foi registrado um total de 24 prisões de cristãos, embora acrescente que, separadamente, cinco outros cristãos foram soltos recentemente da prisão, alguns sob fiança e de forma condicional. Um deles, Amin Khaki, estava preso desde março de 2014.
Classificação da Perseguição Religiosa
Irã é o sétimo país na Classificação da Perseguição Religiosa. A lista classifica as 50 nações onde viver como cristão é mais difícil, e é elaborada anualmente pela Portas Abertas. 
FonteWorld Watch Monitor
TraduçãoGetúlio A. Cidade

Obama faz apelo por liberdade religiosa na Índia

28 jan 2015ÍNDIA

Relações entre hindus e minorias, em especial, os cristãos, são marcadas pela tensão no país. “Defender a liberdade fundamental é responsabilidade do governo”, afirmou o presidente norte-americano
28_ObamaModi_India
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, opinou sobre um dos temas mais sensíveis da Índia ao encerrar, nesta terça-feira (27), uma visita ao país, fazendo um apelo para que a liberdade de religião seja acolhida em uma nação onde as relações entre hindus e minorias são marcadas pela tensão.
Obama não fez referência direta ao partido nacionalista hindu Janata Bharatiya (BJP), do primeiro-ministro Narendra Modi, cuja ascensão ao poder no ano passado levou alguns grupos hindus a tentarem se impor às demais crenças, em um país com uma história de conflitos religiosos.
"O seu Artigo 25 (da Constituição) diz que todas as pessoas 'têm igualmente o direito à liberdade de consciência e de professar, praticar e propagar a própria religião'", disse Obama em um pronunciamento na prefeitura para uma plateia majoritariamente jovem em Nova Délhi.
"Em nossos países, em todos os países, defender essa liberdade fundamental é responsabilidade do governo, mas também é a responsabilidade de cada pessoa", acrescentou.
A ascensão de Modi ao poder encorajou ativistas de direita a declararem abertamente que a Índia é uma nação de hindus, o que representa um desafio para o seu compromisso constitucional de liberdade a todas as religiões. Cerca de um quinto do 1,27 milhão de habitantes da Índia se identifica como pertencentes a outras religiões, e não ao hinduísmo.
Na Classificação da Perseguição Religiosa, da Portas Abertas, a Índia é vista como o 21º mais opressor aos cristãos. Entenda porque aqui.
FonteG1

Cristãs paquistanesas são agredidas por defenderem garota em tentativa de abuso

28 jan 2015PAQUISTÃO

Mulheres cristãs no Paquistão são alvos comuns de estupros, casamentos e conversões forçadas, além das falsas acusações de blasfêmia, principal problema enfrentado pelos seguidores de Jesus
28_Pakistan_2010_0380007329.jpg
Segundo o jornal cristão Pakistan Post, Nusrat Bibi e a irmã, Rani Bibi, estavam com suas duas filhas a caminho do trabalho, em um início de noite em dezembro, quando um muçulmano aproximou-se e começou a molestar a filha de Nusrat.

Segundo os relatos, a moça, cuja idade não foi revelada, conseguiu se defender dos ataques, mas o agressor, identificado como Khawar Khokhar, ficou furioso e começou a bater nela com seu bastão de críquete. Ele agarrou a jovem e advertiu Nusrat e Rani para não se intrometerem, enquanto arrastava a jovem para outro lugar, possivelmente para abusar sexualmente dela.

Entretanto, a mãe e a tia não hesitaram em ajudar a moça, conseguindo soltá-la das mãos do agressor, que ficou ainda mais furioso e começou a bater nas duas. Conforme os relatos, Nusrat foi a mais machucada, quebrando o braço esquerdo e dois dedos da mão esquerda. As irmãs tiveram suas roupas rasgadas e manchas no corpo revelavam sinais de violência. Khokhar fugiu. Nenhum vizinho apareceu para socorrer as mulheres porque sabiam que o agressor tinha prestígio e influência política e também um passado criminoso.  Todos fecharam as portas de suas casas.

Familiares das irmãs e os ativistas dos direitos dos cristãos pediram uma ação por parte do governo contra Khokhar, apesar da afirmação da polícia de que foi um incidente. Oficiais afirmaram que falharam na prisão do agressor.

As irmãs Bibi também foram ameaçadas por muçulmanos a “retirarem as acusações ou então sofrerem as consequências diretas.” Autoridades policiais também as pressionaram para que façam um acordo com Khokhar fora do tribunal.

Os cristãos vítimas de crimes no Paquistão raramente recebem suporte do sistema judiciário do país. Mais do que isso, as vítimas de ataques e estupros são diretamente pressionadas a não prestarem queixa e ainda a firmarem um acordo com os agressores.
FonteChristian Post
TraduçãoVera Hadddad