terça-feira, 31 de março de 2015

Conheça a primeira jogadora de futebol cristã do Paquistão

31 mar 2015PAQUISTÃO

A agência de notícias Al Jazeera informou sobre a crescente popularidade de uma jovem de Karachi que, sendo a primeira mulher cristã do Paquistão a jogar futebol em seu país, está emergindo como uma voz contra a intolerância religiosa
31_Paquistao_0040002267
Joyann Geraldine Thomas fez sua estreia internacional em novembro de 2014, aos 17 anos. A jovem decidiu seguir carreira no futebol inspirada por sua mãe, uma atleta cuja oportunidade de correr no campeonato final foi negada por causa de sua fé.
Falando sobre a intolerância aos cristãos em seu país, Joyann disse: "O Paquistão deve progredir e isso só vai acontecer se houver amor e sinceridade para todas as religiões, raças e etnias".
A jovem representa o clube Balochistan United, um dos campeões nacionais. O presidente do clube, Rubina Irfan, disse: "Para nós, não existe diferença entre uma garota cristã ou uma menina muçulmana. Mesmo as outras jogadoras nunca classificam suas colegas baseadas em religião ou casta".
FonteWorld Watch Monitor
TraduçãoAna Luíza Vastag

Síria: secretário-geral da ONU alerta para "crise humanitária”

31 mar 2015SÍRIA

Grande parte da população síria vive em situação de pobreza e miséria, disse o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, acrescentando que esta é a mais grave crise humanitária da atualidade
31_Síria_0260010113
"Quatro em cada cinco sírios vivem em situação de pobreza, miséria e privações. O país perdeu quase quatro décadas de desenvolvimento humano", disse Ban Ki-moon na abertura da 3ª Conferência Anual de Doadores para a Síria, que ocorre no Kuwait.

"Quase metade dos homens, mulheres e crianças nesse país foi obrigada a fugir de suas casas", lamentou.

O conflito na Síria já custou mais de 215 mil vidas desde março de 2011 e provocou mais de 10 milhões de refugiados e deslocados, quase a metade dos 23 milhões de habitantes do país.

De acordo com a ONU, esses números são recorde, sendo os maiores dos últimos 20 anos.

É por isso que as Nações Unidas apelam para um esforço sem precedentes na conferência, presidida por Ban Ki-moon e da qual participam representantes de 67 países. O secretário-geral da ONU quer obter doações no valor recorde de US$ 8,4 bilhões em um ano.

Na abertura do encontro, o emir do Kuwait, Sabah Al Ahmad Al Sabah, prometeu doar US$ 500 milhões para a Síria. "Estamos aqui para responder ao maior desastre humanitário da história moderna", disse o emir.

Perseguição aos cristãos síriosNa lista dos 50 países mais hostis aos cristãos, a Síria ocupa o 3º lugar (saiba mais sobre a Classificação da Perseguição Religiosa). Ao longo dos conflitos, os cristãos também fugiram de suas casas. Os que escolheram ficar no país ajudando os necessitados, convivem com o som das explosões diariamente. A situação é muito difícil. Ore pela igreja síria.
FonteAgência Brasil

Oito cristãos chineses são condenados à prisão

31 mar 2015CHINA

Os cristãos se declararam culpados de "ocupação ilegal de terras agrícolas" e "reunir uma multidão para perturbar a ordem pública" em suas tentativas de proteger a Igreja de Sanjiang da destruição ilegal pelas mãos do governo. As sentenças variam de alguns meses a três anos
31_China_0300000592
Na última quarta-feira (25) os oito foram sentenciados à prisão, incluindo Guo Yunhua, um ancião da igreja, e Zhao Rendi, que estava no comando das igrejas no distrito de Jiangbei. Este último, depois que ficou ao lado dos outros cristãos locais contra os funcionários que pretendiam demolir a igreja. Apesar disso, o intento do governo foi cumprido em 28 de abril de 2014, dia em que a igreja foi destruída.
"Todos os oito se declararam culpados", afirmou um membro da igreja que participou do julgamento. "Zhao Rendi foi condenado a três anos de prisão com uma prorrogação de quatro anos de cumprimento da sentença. Os outros foram condenados a penas que variam de vários meses a um ano, e todos têm o adiantamento de vários meses até o início de cumprimento da pena."

Há uma forte especulação de que os réus foram coagidos a se declararem culpados.
Outro membro da igreja disse à agência de notícias China Aid que mais de 100 pessoas solicitaram passes de visitantes para o julgamento, mas nem todos foram autorizados a participar. "Há 168 assentos na sala de audiências do terceiro andar do Tribunal Popular de Yongjia County. Quase todos os lugares foram tomados", contou o homem.
No julgamento, a promotoria afirmou que os acusados construíram a Igreja Sanjiang em mais de 38 mil metros quadrados de terras agrícolas e que eles planejaram e organizaram reuniões ilegais nas quais os membros da igreja cantavam hinos e oravam. A acusação também alega que os réus "obstruíram os esforços do governo para corrigir a estrutura ilegal do templo", o que resultou no gasto de mais de 1,2 milhões de yuans (moeda local) do governo para a manutenção da estabilidade do prédio.

Autoridades afirmaram que a igreja "excedeu o padrão fornecido pelo governo". No entanto, os membros da igreja afirmaram que o governo aprovou o tamanho da igreja durante a construção e emitiu toda a documentação necessária.

Ore para que esses irmãos sejam considerados inocentes antes mesmo do início de sua sentença.
FonteChina Aid

Eleições na Nigéria aconteceram neste sábado

30 mar 2015NIGÉRIA

Os primeiros resultados da eleição presidencial na Nigéria devem ser divulgados nesta segunda-feira (30). O presidente da Nigéria, o cristão Goodluck Jonathan, concorre ao segundo mandato, tendo como principal adversário o militar na reserva Muhammadu Buhari, que se candidata às eleições presidenciais pela quarta vez
30_Nigeria_0270100240
Além do presidente, cerca de 69 milhões de eleitores foram chamados às urnas para escolher os 109 senadores e os 360 deputados do país, o mais populoso de África.

A votação deveria ter ocorrido apenas no sábado, mas foi prorrogada também para o domingo em algumas partes do país, por causa de problemas na identificação dos eleitores: pela primeira vez, esse processo foi feito por meio de leitores de impressões digitais, com o objetivo de reduzir as fraudes que marcaram eleições anteriores.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, felicitou os nigerianos pela organização das eleições no país que transcorrem "com grande calma e de maneira organizada", apesar de vários ataques dos extremistas islâmicos do Boko Haram.
Ban Ki-moon apelou ainda às autoridades nigerianas para manterem essa atmosfera pacífica e condenou os ataques do Boko Haram e outros que visaram perturbar a votação.

Além disso, ele destacou o fato de os nigerianos terem demonstrado muita perseverança ao irem votar, apesar da "violência injustificada". No sábado, ao menos 20 pessoas foram mortas em ataques perpetrados por homens armados. Autoridades disseram que não está claro se militantes do grupo radical islâmico Boko Haram estão por trás dos episódios de violência. Outros ataques também deixaram dezenas de mortos nos dias que antecederam a votação.

Uma eleitora explicou à BBC porque estava indo votar, apesar da violência: "Já sofremos demais, tivemos de fugir das nossas casas por causa de tantos ataques", disse a dona-de-casa Roda Umar. "Estou pronta para encarar o risco de votar."

A eleição já havia sido adiada (originalmente, ela ocorreria em fevereiro) para permitir que o Exército retomasse territórios capturados pelo grupo extremista.

A corrida eleitoral na Nigéria evidencia bem as diferenças culturais do país. Jonathan é cristão e vem do sul, enquanto Buhari é um muçulmano que vem do norte do país.
FonteBBC, Agência Brasil

Servindo cristãos perseguidos no Brasil todo

30 mar 2015BRASIL

A missão da Portas Abertas no Brasil é mobilizar os cristãos em diferentes estados do país na causa da Igreja Perseguida. Uma das maneiras de fazer isso é divulgando as histórias de coragem e perseverança de irmãos que não renunciam à sua fé, independentemente das circunstâncias
20_FDSIPManaus
Entre os dias 10 e 12 de abril, será a vez de Manaus, no estado do Amazonas, receber a Portas Abertas para o Fim de Semana da Igreja Perseguida. Os coordenadores de todos os ministérios da Portas Abertas estarão presentes no evento compartilhando as experiências que tiveram em suas viagens de campo e também mobilizando irmãos a se envolverem com as atividades em favor da Igreja Perseguida.

Você poderá saber mais sobre os ministérios underground (de jovens), Mulheres do Caminho (de mulheres), viagens (de visita aos irmãos que enfrentam perseguição) e Correspondentes Locais (divulgadores da causa da Igreja Perseguida em suas regiões). Também poderá ouvir testemunhos que não são compartilhados nos canais oficiais da Portas Abertas por questão de segurança.

Não perca a oportunidade de estar lado a lado com a Igreja Perseguida. Participe! Para conferir a agenda com os endereços e horários das visitas, acesse aqui.
FontePortas Abertas Brasil

Líderes da igreja afirmam que o governo está elaborando nova lei religiosa

30 mar 2015VIETNÃ

Cristãos do norte do Vietnã dizem que o governo está aberto à possibilidade de reformar o Decreto 92, lei restritiva sobre a religião implementada em todo o país em 2013
30_Vietnam_0040004591
"O governo parece estar um pouco mais aberto para a discussão sobre a religião, mas não em relação às questões de direitos humanos", disse Wang*, vietnamita líder de uma igreja do norte do Estado, à Portas Abertas. "Em fevereiro passado, o pastor Jonathan* e eu nos encontramos com funcionários do governo, e nos foi dada a impressão de que as coisas irão melhorar."
Wang afirmou que o governo está em processo de elaboração de uma nova lei sobre religião que irá substituir o decreto de dois anos atrás. "[As autoridades] estão tendo uma nova abordagem agora", continua. "Acham que será mais benéfico trabalhar com os grupos religiosos, em vez de se opor a eles."
"Pelo que ouvi, haverá menos exigência no reconhecimento de igrejas", alegou Wang. "Por exemplo, grupos que têm um bom histórico de 10 anos terão uma forte chance de ser reconhecidos." De acordo com o Decreto 92, só são reconhecidas as igrejas que já existem há 20 anos.
"O governo tem observado como outros governos se relacionam com a religião organizada dentro e fora do país. Eles, de alguma forma, perceberam que há vantagem em praticar clemência", acrescenta o pastor Jonathan, colega de Wang.
Apesar da posição mais acessível do governo, os pastores dizem que o Estado ainda tem "medo" da igreja: "As coisas têm melhorado, mas não podemos dizer que a ameaça contra as igrejas tenha desaparecido completamente", conta Jonathan. "Eu acredito que ainda existe hostilidade contra os cristãos, mas reduzida, talvez. No ano passado, o governo viu o comportamento da igreja evangélica, e por causa da nossa boa posição, agora eles têm aceitado a reforma".
Os pastores afirmam que a nova lei está prevista para ser concluída em maio deste ano, e será discutida pelos legisladores em novembro. Una-se a nós em oração pela melhoria na situação de liberdade religiosa no Vietnã, 16º país na Classificação da Perseguição Religiosa.
*Nomes alterados por motivos de segurança.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

domingo, 29 de março de 2015

O caminho da cruz

29 mar 2015

“Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte.” Filipenses 3.10
29_China_0300000544
Membros da Igreja Perseguida ao redor do mundo entenderam há muito tempo o verdadeiro significado da cruz de Cristo. O pastor chinês Allen Yuan, que passou quase 22 anos na prisão, longe de sua família, por causa de sua fé, sempre conta de seus sofrimentos durante esses anos. Mas ele sempre termina com essa frase:“Eles não são nada se comparados à cruz”.
Watchman Nee, um pastor muito amado e conhecido na China, foi martirizado no início dos anos 1970. Um de seus antigos companheiros de trabalho disse recentemente: “Se nós nos denominamos cristãos – aqueles que seguem a Cristo – devemos saber onde estamos entrando. Cristo andou no caminho da cruz. Devemos estar preparados para fazer o mesmo”. Você está? 

Qual o risco de um atentado terrorista do Estado Islâmico no Brasil?

28 mar 2015

Guga Chacra é comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York. Na última quarta-feira (25), ele publicou uma análise sobre a possibilidade de um ataque do Estado Islâmico (EI) no Brasil. Confira a seguir
28_Iraq_site
Existe risco de terrorismo no Brasil?
Claro que sim. Nenhum lugar do mundo está imune a um atentado. Mas a probabilidade de uma pessoa morrer em um ataque terrorista no território brasileiro hoje é próxima de zero. Afinal, nunca ocorreu uma ação destas no país e nem mesmo tentativas (falo do terrorismo atual, com a religião por atrás). Isso não significa que não irá ocorrer.

O risco de um homicídio não é bem maior do que de terrorismo?
É infinitamente mais provável que um brasileiro seja morto em um homicídio. Com 56 mil assassinatos ao ano, o Brasil apenas perde da Síria em mortes violentas se compararmos com os países do Oriente Médio. Um diplomata de uma nação desta região me disse estar complicado convencer outros diplomatas a irem viver em Brasília, São Paulo ou Rio, em consulados ou embaixadas, porque eles temem a violência no território brasileiro.
Por que não dá para descartar 100% o risco de um atentado?Porque o Estado Islâmico está perdendo a guerra no Iraque e na Síria. Para buscar mostrar que não está enfraquecido, talvez tente atentados em outras partes do mundo.
O Estado Islâmico já fez ataques terroristas fora do Iraque e da Síria?
Devemos lembrar, no entanto, que o Estado Islâmico, ao contrário da Al Qaeda, não tem organização para ataques terroristas globais. Até hoje, cometeu apenas um fora do Iraque e da Síria – justamente o da Tunísia. Segundo analistas, com as derrotas que vem sofrendo nos campos de batalha, isso pode mudar.
Quem poderiam ser os terroristas brasileiros?
No Brasil, a tradicional comunidade muçulmana vinda do Líbano e também da Síria é super bem integrada e sem relação com o Estado Islâmico e a Al Qaeda. É quase impossível um muçulmano brasileiro com esta origem se envolver em terrorismo. Os muçulmanos brasileiros são médicos, engenheiros, professores, advogados, comerciantes, industriais e até surfistas e lutadores de jiu-jitsu. São exatamente iguais aos evangélicos, aos católicos, aos judeus e ateus. Torcem para o Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. Votaram no Aécio e na Dilma. Voam de TAM e de GOL. Comem arroz e feijão, e também macarrão, quibe e esfiha. Existe, porém, um número pequeno (minúsculo, possível de contar nos dedos) de convertidos ao islamismo que adotam discursos radicais e o Estado Islâmico, por meios das redes sociais, talvez tente cooptá-los. Antes de perguntarem, lembro que o Hezbollah é xiita e um dos maiores inimigos do Estado Islâmico e da Al Qaeda no mundo.
Seria um ataque de lobo solitário?Ainda que o Estado Islâmico consiga convencer alguém no Brasil a cometer um ataque terrorista, não veremos mega atentados como o 11 de setembro, metrô de Londres, boate em Bali ou trens de Madrid. Mas podem ocorrer ações de lobos solitários, bem mais difíceis de serem impedidas, como vimos no mercado kosher de Paris e, depois, na Dinamarca.
Devemos ter medo do atentado?Resumindo, ninguém precisa deixar de dormir à noite com medo de um ataque terrorista no Brasil. Os EUA, um alvo infinitamente maior do que o Brasil para o terrorismo, desde o 11 de setembro, foi alvo de apenas um atentado. Isso não significa que as autoridades brasileiras devam ignorar o risco. Devem, especialmente com a Olimpíada, ficar de olho em possíveis terroristas dentro do país ou que possam cruzar a fronteira.

O artigo não expressa a opinião da Portas Abertas Brasil e serve apenas como informação de interesse público.
FonteEstadão

sexta-feira, 27 de março de 2015

Tensão no Iêmen afeta toda a população

27 mar 2015IÊMEN

O Iêmen vive uma crise política desde 22 de janeiro, dois dias depois de a milícia xiita assumir o controle do palácio presidencial e, na sequência, o presidente Abd Rabbo Mansour Hadi renunciar ao seu governo. Os diversos conflitos sectários (religiosos) que têm acontecido no país chamam a atenção para o estado de insegurança da população
27_Yemen_0260009871
O presidente do Iêmen, Abd-Rabu Mansur Hadi, chegou ontem (26) à capital da Arábia Saudita, Riad. Os ataques recentes da Força Aérea saudita em território iemenita, e que mataram pelo menos 18 civis em Sanaa, tornam o Iêmen a nova frente de combate entre sauditas e iranianos – tradicionais adversários do Oriente Médio.
O reino sunita da Arábia Saudita acusa o grupo Houthi, que pertence a uma minoria xiita no país, de ser financiado pelo Irã. Ambos negam a acusação. Para o embaixador da Arábia Saudita nos Estados Unidos, Adel Al-Jubeir, os houthis "sempre escolheram o lado da violência".
De acordo com a agência de notícias oficial saudita SPA, Hadi foi recebido em Riad pelo ministro saudita da Defesa, Mohamed bin Salman bin Abdel-Aziz. O paradeiro exato do presidente iemenita era desconhecido desde quarta-feira (25), quando as forças houthis se aproximaram da cidade de Áden, onde o líder tinha estabelecido sua sede de governo há pouco mais de um mês – após fugir de Sanaa, que foi tomada pelos rebeldes xiitas em setembro.
Após conflitos e bombardeios dos grupos opostos, o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, anunciou no balneário egípcio de Sharm el-Sheikh que os países do bloco concordaram em formar uma força militar unificada para defender o governo de Hadi, que é reconhecido internacionalmente. O ex-presidente iemenita Ali Abdullah Saleh, que ficou 33 anos no cargo, apoia os houthis, supostamente como parte de um plano para retomar o poder no Iêmen.
A resolução da Liga Árabe pela coalizão militar para combater os rebeldes do Iêmen deve ser aprovada oficialmente no fim de semana, durante a cúpula da entidade no Egito, à qual Hadi deverá comparecer. Além de Arábia Saudita e Egito, participarão da coalizão árabe Kuwait, Catar, Emirados Árabes, Bahrein, Jordânia, Marrocos, Sudão e Paquistão.
Em meio a todos esses conflitos, os cristãos, que já enfrentam forte perseguição por sua fé, também vivem as tensões diárias provocadas pela violência e insegurança. Na Classificação da Perseguição Religiosa, lista atualizada todos os anos pela Portas Abertas, que revela os 50 países mais hostis aos cristãos, o Iêmen ocupa a 14ª posição. 
No país, há certa liberdade religiosa para os estrangeiros, mas o evangelismo é proibido e os iemenitas que deixam o islã podem enfrentar a pena de morte – isso faz o Iêmen um dos países menos evangelizados do mundo.
Ore por toda essa situação que tem assolado a nação e os desdobramentos futuros desses conflitos.
FonteEstadão e Portas Abertas Internacional

Aumento de ataques aos cristãos na Índia preocupa

27 mar 2015ÍNDIA

Tem havido uma onda de ataques a igrejas e cristãos nos últimos meses. Em 16 de março, uma igreja em construção em Haryana foi demolida. No dia 14 do mesmo mês, uma cristã de 71 anos foi agredida por oito homens
27_India_0430101560
Em 27 de fevereiro, 20 missionários cristãos de Hyderabad foram detidos pela polícia de Jaipur e brutalmente agredidos enquanto estavam sob custódia. Em 25 de fevereiro, uma igreja em Mangalore, no estado de Karnataka, foi vandalizada, enquanto pelo menos cinco igrejas na área de Deli também têm sido objeto de profanação.
Falando em uma conferência religiosa organizada por grupos cristãos em 17 de fevereiro, o primeiro-ministro da Índia, Modi, declarou: "O meu governo não vai permitir que qualquer grupo religioso, pertencentes à maioria ou a minoria, incitem o ódio contra os outros, aberta ou veladamente. O meu governo cuidará para que haja igual respeito a todas as religiões; não podemos aceitar a violência contra qualquer religião sob qualquer pretexto e condeno veementemente este tipo de violência. Meu governo vai atuar fortemente nesse sentido”.
Em uma visita à Índia, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um apelo pela liberdade religiosa no país. Confira aqui.
FonteCSW
TraduçãoAna Luíza Vastag

Nigéria: novo presidente e Parlamento serão escolhidos sábado

27 mar 2015NIGÉRIA

A Nigéria, o mais populoso país africano, vai eleger um novo presidente e o Parlamento no sábado (28), depois de um adiamento de seis semanas para combater o grupo radical islâmico Boko Haram, que aterroriza sobretudo o Norte do país
27_Nigeria_2014_0270100078.jpg
Cerca de 68,8 milhões de nigerianos são chamados às urnas para as eleições presidenciais e legislativas, enquanto os governadores dos estados e os parlamentos locais serão escolhidos em 11 de abril.

Os candidatos à chefia do Estado são 14. Entre eles há, pela primeira vez, uma mulher, mas a disputa acirrada envolve o atual presidente Goodluck Jonathan e o ex-general Muhammadu Buhari, que dirigiu a Nigéria à frente de uma junta militar de 1983 a 1985.

Jonathan, de 57 anos, um cristão do Sul, da etnia ijaw, tem sido muito criticado pela incapacidade de conter a atuação do Boko Haram que, em seis anos, causou cerca de 13 mil mortos.

A segurança das eleições é motivo de preocupação. O Boko Haram, que considera a democracia e o governo secular uma forma de “paganismo”, prometeu impedir a votação de sábado.

Segundo o Ministério do Interior, o presidente determinou o fechamento das fronteiras marítimas e terrestres até sábado “para permitir o desenrolar pacífico das eleições”.

Ainda que nas últimas semanas tenha perdido a maioria das localidades que ocupava no Nordeste, sob pressão de uma força que juntou os exércitos da Nigéria, do Chade, de Camarões e do Níger, o grupo aliado dos jihadistas do Estado Islâmico continua a ser um risco.

Nnamdi Obasi, especialista do Centro de Reflexão International Crisis Group, considera que os combatentes do Boko Haram “talvez não sejam capazes de tomar novos territórios, mas podem enviar suicidas para locais públicos, como as assembleias de voto”.

“Em numerosas áreas do estado de Borno”, de onde é originário o grupo fundamentalista, “a situação continua a ser precária em termos de segurança e os deslocados” não poderão “participar da votação”, enquanto em outras “as eleições vão se realizar, mas em uma atmosfera de preocupação”, adianta Obasi.

Há ainda o temor da violência política pós-eleitoral, depois das presidenciais de 2011 terem custado a vida a cerca de mil nigerianos.

As Nações Unidas avisaram que será responsabilizado quem contestar os resultados eleitorais pela violência.

A posse do novo presidente da Nigéria está marcada para 29 de maio. Ore por esse processo eleitoral, para que o país volte a ver a paz.
FonteAgência Brasil

quinta-feira, 26 de março de 2015

Pastor chinês é sentenciado a um ano de prisão

26 mar 2015CHINA

O pastor Huang Yizi foi considerado culpado de "juntar multidões para perturbar a ordem social". Ele questionou o governo a respeito dos 50 membros de sua igreja que foram espancados enquanto as autoridades tentavam retirar ilegalmente a cruz do edifício. Um mês depois, em julho de 2014, ele foi preso e até então aguardava pelo julgamento de seu caso
26_China_0380009232
Um pastor que defendeu a igreja local quando as autoridades chinesas removeram a cruz do edifício foi condenado a um ano de prisão na última terça-feira (24), à noite, por um tribunal na província de Zhejiang.
O pastor, Huang Yizi, foi sentenciado pelo Tribunal Popular em Pingyang depois de ter sido condenado por "reunir multidões para perturbar a ordem social", disse o advogado dele, Zhang Kai. Zhang disse que apelaria o veredito ao tribunal.
O julgamento atraiu mais de 400 pessoas, a maioria cristãos locais, que se reuniram em frente ao tribunal Pingyang para esperar pela decisão legal.
FonteNY Times
TraduçãoAna Luíza Vastag